1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / REPRESENTATIVIDADE

CNME apoia Projeto + Mulheres na Política

Iniciativa é do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e tem como objetivo ampliar a participação feminina na política

20 de outubro de 2020 - 21:30

Representantes do Conselho Nacional da Mulher Empresária (CNME) da CACB, do Conselho da Mulher Empresária da Associação Comercial do Distrito Federal e da Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig) assistiram nesta terça-feira (20) à apresentação do Projeto + Mulheres na Política, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH).

De acordo com Cristiane Britto, secretária nacional de Mulheres do MDH, a motivação para a criação do programa vem do fato de que o Brasil ainda faz parte do ranking mundial de sub-representação das mulheres na política. Para se ter uma ideia, nas eleições municipais de 2016, 1290 municípios não elegeram sequer uma mulher para a Câmara de Vereadores e apenas 11,6% das prefeituras foram ocupadas por representantes femininas.

Ao falar sobre representatividade da mulher, a presidente da Abrig, Carolina Venuto fez um panorama da participação feminina na política brasileira, desde a garantia do direito ao voto, na década de 30, à conquista da cota mínima de 30% de candidaturas – em 2009 – e os 30% dos fundos partidário e eleitora e do tempo de propaganda, em 2018, ano em que as eleições ampliaram de 10% para 15% a ocupação feminina na Câmara dos Deputados.

“A conclusão que tiramos disso, é que não basta a possibilidade de a mulher se tornar candidata, é preciso que lhe seja conferidos os recursos necessários para que seja eleita”, apontou.

Os dados negativos, no entanto, de acordo com Cristiane, começou a mudar nas eleições de 2018, quando mulheres de 20 a 24 anos representaram 51,1% das candidaturas femininas. “Isso demonstra que as jovens estão se interessando mais por política, e esse é o caminho. Isso certamente vai impactar o cenário este ano e em 2022 e a construção de políticas públicas idealizadas, concretizadas e voltas para as mulheres”, disse.

Outra motivação para a campanha, continuou, é um estudo da Unicamp, da UFBA e do BID, que associa o maior número de mulheres na política à queda nos índices de mortalidade infantil e acesso a programas sociais. “Essa pesquisa empodera as candidatas a dizer ao seu eleitorado porque o município precisa delas no poder”, destacou.

“A ideia de assumirmos um papel nessa discussão tem o propósito de conectar e motivar as mulheres a assumirem papeis de liderança não apenas em empresas e entidades, mas no poder público de suas cidades, contribuindo para a redução da desigualdade de gênero e estimulando uma maior expressão social, política e econômica”, declarou Tânia Rezende, presidente do CNME.

O + Mulheres na Política é um dos pilares do projeto Mais Mulheres no Poder, e o objetivo é que 100% das câmaras municipais tenha pelo menos uma mulher eleita este ano. Para viabilizar o programa, o MDH assinou um protocolo de intenções com 18 partidos políticos, que se comprometeram a enveredar todos os esforços necessários para atingir a meta.

O projeto oferece capacitações, dicas, tira dúvidas e materiais para apoiar as campanhas e elevarem o nível das candidaturas das mulheres. Todo o conteúdo pode ser acessado através dos links abaixo:

Maratona + Mulheres na Política

Oficina + Mulheres na Política

Cartilha + Mulheres na Política

Também estiveram na reunião o presidente da ACDF, Fernando Brites, e a presidente do CME da ACDF, Ivonice Campos. A gravação do bate-papo estará disponível na íntegra no YouTube da CACB ainda esta semana.

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311