Imprensa
Recessão

Micro e pequenas empresas terão crédito a juros mais baixos

Medidas para estimular economia serão anunciadas no mês que vem

12 de janeiro de 2016 às 11:54

André Coelho / Agência O Globo

André Coelho / Agência O Globo

BRASÍLIA E RIO -Na tentativa de tirar o país da recessão, a equipe econômica usará o BNDES para financiar o capital de giro de pequenas e microempresas. A proposta do governo é que esses empréstimos sejam corrigidos pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que é de 7% ao ano — bem menor do que a taxa média de juro de capital de giro, que chegou a 25,7% em novembro — e tenham o aval de um fundo de R$ 600 milhões mantido pelo Sebrae. Essa reserva de segurança poderia garantir até R$ 7,2 bilhões de crédito.

Segundo fontes ouvidas pelo GLOBO, a ideia deverá ser incluída no pacote que será anunciado no mês que vem para estimular a economia, que também terá uma ampliação do cartão BNDES e medidas de estímulo à exportação.

Esta semana, o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, o presidente do banco de desenvolvimento, Luciano Coutinho, e o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, discutirão o assunto em Brasília.

Desde o início do ano, Afif pede a Barbosa e ao presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, benefícios para capital de giro. A ideia era direcionar os depósitos compulsórios (parte do dinheiro depositado nos bancos que deve ser deixada parada no BC) para financiar o fluxo de caixa dos pequenos empresários e assim diminuir a taxa média de 4% ao mês, cobrada atualmente.

No entanto, Barbosa sugeriu a Afif fazer o estímulo de outra forma. Na quarta-feira da semana passada, os dois conversaram e o ministro explicitou a ideia de usar o BNDES. A sugestão foi apoiada na hora pelo presidente do Sebrae.

— O que queremos mesmo é fazer um crédito pulverizado para pequenas e microempresas — ressaltou Afif.

Ele ainda contou que o governo quer estimular a expansão do cartão BNDES para os menores negócios. De acordo com o presidente do Sebrae, os bancos repassadores têm represado os recursos desse cartão, que serve para financiar investimentos e expansão das pequenas empresas.

Também são gestadas medidas para estimular as exportações, como O GLOBO informou semana passada. Elas foram discutidas na quinta-feira numa reunião dos ministros da Casa Civil, Jaques Wagner, e do Desenvolvimento, Armando Monteiro. As propostas criam mecanismos de crédito para as vendas ao exterior e também desburocratizam o comércio do Brasil com outros países.

As medidas que serão anunciadas no mês que vem também devem incluir o uso de bancos públicos e do FGTS em linhas de crédito para a construção civil, conforme antecipou O GLOBO semana passada, e confirmado pelo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, em entrevista ao jornal “Folha de S. Paulo”, publicada ontem. O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), José Carlos Martins, aprova a iniciativa do governo para expandir o crédito habitacional:

— Somos o único segmento que ainda está andando bem. Tanto que no ano passado, mesmo em ano de recessão, o volume de financiamentos com recursos do FGTS cresceu 18% em relação a 2014. Sempre que podemos usar crédito sem onerar o Tesouro é uma forma de ter mais crescimento. Com certeza, existe demanda.

MAIS CRÉDITO, MAIS EMPREGOS

Sobre o impacto que um maior volume de crédito terá sobre a geração de empregos, Martins diz que a tendência é que alivie as demissões no setor, que em 2015 foi o segundo que mais demitiu no país até novembro:

— Com mais volume de recursos, o desemprego vai diminuir. Ano passado o setor foi muito prejudicado pelo atraso no pagamento de obras públicas pelo governo e pela recessão que inibiu investimentos.

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio (Sinduscon-Rio), Roberto Kauffmann, também acredita que a liberação de mais crédito para a habitação beneficiará o setor:

— É uma medida excelente porque vai alavancar a construção civil, setor que emprega muito e para atender a população de média e baixa renda, que busca comprar a casa própria. A demanda potencial é muito grande.

Fonte: Jornal O Globo

Últimas Notícias

Presidente da Federaminas recebe homenagem no estado Presidente da Federaminas recebe homenagem no estado
Federaminas 17 de julho de 2024 às 16:40

Presidente da Federaminas recebe homenagem no estado

Faceb comemora 60 anos e nova diretoria toma posse Faceb comemora 60 anos e nova diretoria toma posse
Celebração 17 de julho de 2024 às 16:39

Faceb comemora 60 anos e nova diretoria toma posse

Ministro prorroga decisão que suspende reoneração da folha de pagamentos até setembro Ministro prorroga decisão que suspende reoneração da folha de pagamentos até setembro
Desoneração da Folha 17 de julho de 2024 às 16:07

Ministro prorroga decisão que suspende reoneração da folha de pagamentos até setembro

Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede
Poder da Rede 16 de julho de 2024 às 15:21

Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede

Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior
Entrevista 16 de julho de 2024 às 12:32

Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior

Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto
Economia 16 de julho de 2024 às 12:26

Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto

Serviços

Ver todos

Soluções dedicadas ao empresário brasileiro

Conheça nossos serviços para a sua empresa.

Conhecimento e informação nos conecta

Compartilhamos conteúdo do seu interesse

  •  

Eventos

Ver todos

Agenda dos Eventos Empresarias

Participe dos eventos organizados por entidades que apoiam os empresários do Brasil.

Busca

Fechar

Categorias de Serviços

Fechar

Categorias de Vídeos

Fechar

Entidades

Fechar
Logomarca Hotpixel