Imprensa
ECONOMIA

Meirelles diz que ajuda a Estados pode prejudicar recuperação da economia

19 de setembro de 2016 às 17:19
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O ministro Henrique Meirelles (Fazenda) afirmou nesta segunda (19) que ajudar os Estados com mais repasses pode prejudicar a incipiente recuperação da economia. Isso porque, segundo Meirelles, ajudá-los significaria aumentar o desequilíbrio fiscal, que abateu a confiança dos agentes econômicos e empurrou o país para a recessão.

“Se aumentar novamente a despesa [federal], vou prejudicar a recuperação da economia, o que vai afetar arrecadação do próprio Estado. Temos que apostar na recuperação da economia e tomar medidas para que ela se viabilize e a arrecadação crescer. Não posso matar o paciente na tentativa de tratá-lo”, disse Meirelles, em evento na Fiesp.

Catorze Estados prometeram decretar calamidade pública caso não recebam ajuda federal.

Em entrevista na Fiesp, Meirelles afirmou que o governo separou R$ 20 bilhões neste ano para dar aval a empréstimos estaduais. O problema é que, em crise, a maioria dos Estados não cumpre as exigências do mercado para conseguir financiamento.

Meirelles disse, porém, que há demanda por esses recursos. “Há diversos Estados que já fizeram o dever de casa e têm condições de tomar empréstimos e receber o aval”.

Diante da ameaça de governadores, Meirelles admitiu que haveria consequências negativas para economia. Os Estados poderiam atrasar pagamentos de obrigações, por exemplo.

“De fato não é algo positivo para a economia ou para a imagem [do país]. É importante para o mundo e o que vai melhorar a imagem do Brasil é o fato de estarmos enfrentando o problema descontrolado da despesa e da dívida pública”, disse Meirelles.

O ministro participa de encontros com investidores nesta teça (19) em Nova York, junto com o presidente Michel Temer.

“Tenho dito aos Estados que não devemos piorar o problema, na tentativa de mitigá-lo. No momento em que a União assume mais despesas, vai trazer mais problemas para a economia”, disse.

PATO

Meirelles ouviu pedidos de empresários para que o governo aja para reduzir juros e estimular crédito contra a recessão. O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, ameaçou colocar o pato, que simbolizou a campanha da entidade contra o aumento de impostos, na porta do Banco Central.

“Ministro da Fazenda dando palpite sempre atrapalhou muito [o trabalho do BC] e por isso não quero incorrer no mesmo erro”, despistou Meirelles.

Diante da pressão sobre o aumento da taxa real de juros, devido à queda da inflação, vocalizada pelo presidente da CSN e diretor da Fiesp, Benjamin Steinbruch, Meirelles brincou que levaria o pedido de todos os credores ao BC.

No ano passado, o governo pagou cerca de R$ 500 bilhões em despesas com a dívida pública.

Meirelles afirmou ainda que a expansão do crédito dos bancos públicos nos últimos anos “foi impressionante”.

“Agora eles [bancos públicos] estão fazendo um reajuste do seu posicionamento, visando garantir sua sustentabilidade. Mas tenho segurança de que havendo uma inversão de tendência, com crescimento e vendas, o crédito passa a ter condições de ter sustentabilidade”.

Fonte: Folha de S. Paulo

Últimas Notícias

Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede
Poder da Rede 16 de julho de 2024 às 15:21

Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede

Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior
Entrevista 16 de julho de 2024 às 12:32

Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior

Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto
Economia 16 de julho de 2024 às 12:26

Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto

Dólar sobe após atentado a Donald Trump Dólar sobe após atentado a Donald Trump
Economia 15 de julho de 2024 às 16:53

Dólar sobe após atentado a Donald Trump

Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou
Política 12 de julho de 2024 às 16:31

Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou

Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária
Economia 12 de julho de 2024 às 14:33

Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária

Serviços

Ver todos

Soluções dedicadas ao empresário brasileiro

Conheça nossos serviços para a sua empresa.

Conhecimento e informação nos conecta

Compartilhamos conteúdo do seu interesse

  •  

Eventos

Ver todos

Agenda dos Eventos Empresarias

Participe dos eventos organizados por entidades que apoiam os empresários do Brasil.

Busca

Fechar

Categorias de Serviços

Fechar

Categorias de Vídeos

Fechar

Entidades

Fechar
Logomarca Hotpixel