1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / 11WCC / #11WCC

Entidades apresentam ações de fomento ao comércio exterior de MPEs

Workshop discutiu oportunidades de negócios para empresas que desejam atuar fora de seu país

13 de junho de 2019 - 13:07

De acordo com um estudo feito pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pela Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior (Funcex), atualmente, 3.856 micro e 5.007 pequenas empresas (MPEs) vendem para fora do país. Os principais mercados para os pequenos negócios brasileiros são países do Mercosul, além dos Estados Unidos e Canadá.

Mas apesar de os dados brasileiros apresentarem números cada vez mais animadores, as micro, pequenas e médias empresas ainda permanecem pouco representadas no comércio mundial. Diante disso, o workshop “MPEs para o mundo: câmaras como facilitadoras e parceiras” discutiu o papel das câmaras na expansão dos ganhos do comércio mundial para este grupo de empresas.

Renata Malheiros Henriques, gerente sênior do Departamento de Empreendedorismo do Sebrae, compartilhou as três lições que as empresas brasileiras precisam para alcançarem o mercado internacional: custos transacionais, assimetrias e confiança; nicho de mercado; e competitividade. “Das empresas brasileiras, 99% são micro e pequenas. Elas representam 52% dos empregos formais do país e contribuem com 25% do PIB. No entendo, respondem por apenas 1% do volume exportado do Brasil. O Sebrae trabalha, então, para conseguir um ambiente empresarial mais amistoso, com melhores regulamentações e um melhor diálogo entre o público e o privado”, informou.

O gerente adjunto da Unidade de Financiamento Comercial do Banco do Brasil, Reinaldo Manoel de Lima, destacou que a entidade financeira é a maior do país no que diz respeito ao alcance internacional, o que ajuda a conectar seus clientes a investidores internacionais. “Mas antes de oferecer produtos bancários para as MPEs, passamos por um processo de educação, com consultoria e treinamentos, com especialistas em comércio exterior, para que as empresas conheçam as vantagens de irem para fora e tenham consciência dessa importância”, conta.

Já Fernando Hurtado, presidente de Câmara de Indústria, Comércio e Serviços e Turismos de Santa Cruz de la Sierra (Cainco), apresentou o programa AL-Invest 5.0, que através de recursos oferecidos pela União Europeia, desenvolve projetos de promoção das atividades de milhares de empresas. “Nossa metodologia de núcleos torna as empresas mais atuantes e com mais acesso a recursos, de forma coletiva”, disse.

Reinaldo Manoel de Lima, Renata Malheiros Henriques e Fernando Hurtado

Falaram, ainda, no workshop Khalid Klefeekh Al Hajri, membro do conselho da Câmara de Comércio e Indústria do Catar e presidente do Centro Internacional do Catar para o Comitê de Conciliação e Arbitragem; Mathieu Loridan, analista de marketing do Centro Internacional de Comércio; e Volker Treier, vice-presidente da DIHK – Associação Alemã de Câmaras de Indústria e Comércio; José Luis Cancela, representante do Uruguai na World Trade Organization; e Arancha González, diretora executiva da Organização Mundial do Comércio (OMC). A moderação foi feita por Emanuelle Gane, analista senior da World Tarde Organization.

 

Por Erick Arruda da Assessoria de Comunicação do #11WCC

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311