CACB

  1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / AL INVEST 5.0

Dois projetos brasileiros foram selecionados para executar quase 1 milhão de euros do Programa AL-Invest 5.0

São 26 os projetos escolhidos na Primeira Chamada de Propostas para Fundos Concursáveis do Programa AL-Invest 5.0 em toda a América Latina. As propostas visam a alavancar a produtividade das MPEs em 16 países da região. Dois projetos são brasileiros.

04 de outubro de 2016 - 10:38

Os projetos de fomento à produtividade das micro, pequenas e médias empresas (MPEs) foram selecionados dentre 124 propostas recebidas na Primeira Convocatória para Fundos Concursáveis do AL-Invest 5.0, um programa de cooperação Internacional da União Europeia para toda a América Latina coordenado pela Câmara de Indústria, Comércio, Serviços e Turismo de Santa Cruz, Bolívia (CAINCO).

Na primeira convocatória, a União Europeia destinou 10 milhões de euros. Os projetos selecionados receberão até 400.000 euros cada um para desenvolver atividades que irão beneficiar mais de 25 mil MPEs em 16 países da região.

Feiras produtivas, missões empresariais, conformação e fomento a núcleos setoriais, capacitações e participação em fóruns, entre outras, são as atividades que serão executadas dentro do Programa AL-Invest. Empoderar mulheres empresárias, incentivar jovens empreendedores e inovação, implementar a cultura da capacitação constante e promover a vinculação entre MPEs são algumas das prioridades do programa, cujo objetivo é lutar contra a pobreza impulsionando o trabalho digno e o respeito ao meio ambiente.

No Brasil, os projetos do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Pará e da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina foram aprovados para a execução das atividades de fomento empresarial descritas em suas propostas.

O projeto do Sebrae no Pará visa a melhoria da competitividade das MPEs de Artesanato e Agroindustriais da Amazônia Brasileira e tem o objetivo principal o acesso a novos mercados, inclusive o internacional. “Além de fortalecer a organização do setor, devem ser desenvolvidas ações estratégicas para a intensificação da comercialização de produtos, como a estruturação de espaços colaborativos de venda”, explica a gerente de Mercado da instituição, Keyla Reis.

Será criado um sistema em formato de rede interinstitucional para disseminação de informações e dados mercadológicos no Pará, ação pioneira no estado, para facilitar o acesso a dados e promover inovação e aprendizagem constante aos pequenos negócios.

A gerente informou ainda que a ideia é desenvolver núcleos produtivos de forma sustentável, por meio da profissionalização da gestão de seus negócios e a inserção de processos de inovação, empoderamento e aproximação comercial: “Com o apoio do programa Al Invest 5.0, os produtores irão oferecer aos consumidores produtos sustentáveis e de qualidade, com insumos característicos da Amazônia brasileira”; completou.

Já o projeto da FACISC é voltado para desenvolvimento das capacidades produtivas e empresariais das micro, pequenas e médias empresas no estado, buscando fortalecer o associativismo, com ações específicas para mulheres empresárias e com a ampliação do programa de desenvolvimento econômico local.

Para Ernesto João Reck, presidente da FACISC, a aprovação é um marco que atesta a competência da entidade para a elaboração de projetos internacionais de alta complexidade: “Participar deste que é o maior projeto aprovado em valores e número de empresas beneficiadas pela CAINCO é, ao mesmo tempo, um desafio e uma grande oportunidade”, destaca.

Ele acredita que, com a experiência, será possível levar benefícios e possibilidades de desenvolvimento às micro, pequenas e médias empresas e, por este caminho, contribuir para a redução da pobreza na América Latina: “Além disso, com o início do processo de integração com outras entidades, percebemos que o projeto será apenas uma semente para grandes oportunidades que se abrem para o Sistema Facisc e para as empresas que serão beneficiadas”.

Reck reforça o orgulho em mostrar as competências da equipe e afirma que o grupo está tecnicamente preparado para implementar as atividades descritas: “ O projeto vem com força para o campo das instituições que atuam no cenário da cooperação internacional”, completa o presidente.

O Programa AL-Invest 5.0 é executado por um consórcio formado pela Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), a Câmara de Comércio de Lima (Peru), a Câmara Nacional de Comércio e Serviços do Uruguai, a Associação Guatemalteca de Exportadores, a Câmara de Comércio da Costa Rica e a Câmara de Comércio e Indústria de El Salvador, liderado pela CAINCO. Além disso, conta também com entidades parceiras como Banco Interamericano de Desenvolvimento (Estados Unidos), Câmara de Comércio de Paris (França), Eurochambres (Bélgica) e Sequa (Alemanha). No total, a União Europeia destina 25 milhões de euros ao Programa AL-Invest 5.0 (durante seus quatro anos de duração), 15 milhões por meio de fundos concursáveis e 10 milhões para fundos de execução direta mediante o consórcio internacional do Programa.

Os 26 principais solicitantes selecionados são:

1 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Pará;
2 Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Brasil);
3 Cámara de Comercio de Barranquilla;
4 Cámara de Comercio de Bucaramanga;
5 Cámara de Comercio de Bogotá (Colombia);
6 Cámara de Comercio de Quito;
7 Federación Ecuatoriana de Exportadores (Ecuador);
8 Asociación Agencia de Desarrollo Económico Local del Departamento de La Unión (El Salvador);
9 Cámara de Comercio e Industria de Tegucigalpa (Honduras);
10 Instituto Tecnológico y de Estudios Superiores De Monterrey (México);
11 Unión de Cooperativas Agropecuarias de Servicios;
12 Fundación Nicaragüense para el Desarrollo Económico y Social;
13 Asociación de Productores y Exportadores de Nicaragua (Nicaragua);
14 Centro de Cooperación Empresarial y Desarrollo Industrial;
15 Unión Industrial Paraguaya (Paraguay);
16 Cámara Nacional de Comercio, Producción, Turismo y Servicios;
17 Cámara de Comercio de Huancayo;
18 Asociación de Exportadores (Perú);
19 Instituto Andaluz de Tecnología;
20 Promos – Agencia Especial de la Cámara de Comercio de Milán;
21 Confindustria Umbria – Associazione Degli Industriali Della Regione Umbria (Unión Europea);
22 Cámara de Industrias del Uruguay (Uruguay);
23 Asociación Civil Circuito de la Excelencia;
24 Confederación Venezolana de Industriales (Venezuela);
25 Cámara de Industria, Comercio, Servicios y Turismo De Chuquisaca;
26 Confederación de Empresarios Privados de Bolivia (Bolivia).

*além de outras 35 instituições que são co-solicitantes nestes projetos.

Fonte: Cainco e CACB/Empreender

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311