1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / VITÓRIA-ES

CBMAE abre Conferência Capixaba de Mediação e Arbitragem

Para o coordenador da CBMAE, Eduardo Vieira, o aprendizado do evento pode ser levado às comunidades dos mais de cem participantes

24 de agosto de 2018 - 16:04

Nesta quinta-feira (23), o superintendente da Câmara de Mediação e Arbitragem Empresarial da Associação Comercial e Empresarial do Espírito Santo, Luiz Carlos Ridolphi, deus as boas-vindas às mais de cem pessoas que acompanharam a Conferência Capixaba de Mediação e Arbitragem, que aconteceu em Vitória-ES.

Ridolphi fez uma rápida retrospectiva do uso dos Métodos Extrajudiciais de Solução de Controvérsias (MESCs) no Espírito Santo. Segundo conta, a trajetória começou em 1996, poucos antes da edição da Lei de Arbitragem, que regulamentou o uso do método no país.  A CACB criou a Corte Brasileira de Mediação e Arbitragem Empresarial, hoje denominada Câmara. Com o apoio da Confederação e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) iniciou processo de criação de câmaras nos estados, hoje em Vitória, temos a CBMAE-ES.

“Hoje a Câmara desenvolve um trabalho de difusão dos métodos e a administração de procedimentos de conciliação, mediação e arbitragem, além de gerar boas oportunidades de capacitação de profissionais”, pontuou.

Logo em seguida, o coordenador Nacional da CBMAE, Eduardo Vieira, também comentou os avanços históricos do uso dos MESCs, destacando o momento atual, em que a Câmara atua em questões de menores e de maiores custos. “Daí a importância deste momento de troca e experiências. Tenho certeza de que vocês poderão levar um pouco do aprendizado de hoje para a sua comunidade, além de fortalecer a disseminação dos métodos mundo afora”, disse.

O presidente da ACE-ES, Arthur Avelar, se disse pouco conhecedor do assunto, mas cada vez mais apaixonado pelo uso dos MESCs. Avelar citou uma antiga frase, que para ele define o modo como enxerga a mediação e a arbitragem: Só o povo, salva o povo. “Olhamos a Justiça com a intenção de que um vença o outro. Aqui é diferente, os dois se salvam”, destacou.

“Eu era um advogado daqueles que sempre gostava de convencer os outros de que eu estava certo, mas a minha forma de ver o mundo, mudou”, definiu-se Ricardo Brum, representante da OAB/ES no evento. Ele diz não se considerar menos advogado hoje, mas se considera mais solucionador de problemas do que já foi um dia, antes de conhecer a utilização dos MESCs. “A sociedade precisa passar por este processo também. Precisa entender que a cultura do conflito, especialmente o que é levado ao Judiciário, tem de ser modificado”, opinou.

Brum declarou que a OAB entende que defender os MESCs é promover a justiça e construir um país mais justo, mais célere e mais adequado.

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Neusa Galli Fróes
    Froés berlato associadas

    Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • neusa@froesberlato.com.br
    Telefones:
    (51) 3388 6847 / (51) 9123 6847

    E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311