1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / MODERNIDADE

Brasil inaugura 1ª etapa do Sirius, maior estrutura científica do país

Laboratório é dos mais modernos do mundo. Conclusão está prevista para 2020. Orçamento foi de R$ 1,8 bilhão

19 de novembro de 2018 - 11:54

Sirius tem 68 mil metros quadrados de área construída, em Campinas. Foto: Reprodução/EPTV

O governo inaugurou na últoma 4ª feira (14) a 1ª parte do laboratório Sirius – maior estrutura de pesquisa científica do país. O centro, que inclui 1 acelerador de partículas, custou R$ 1,8 bilhão e é ligado ao CNPEM (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais).

A estrutura será uma das mais modernas do mundo. O 1º teste do ultra-aparelho foi realizado no próprio dia 14, mas a estrutura só estará disponível para utilização dos pesquisadores a partir do 2º semestre de 2019.

Estima-se que a conclusão do laboratório, com operação de 13 linhas, será em 2020.

O Sirius sucederá 1 acelerador de partículas utilizado há 30 anos no LNLS (Laboratório Nacional de Luz Síncrotron). Um exemplo da diferença entre as duas tecnologias, é a duração de experimentos semelhantes realizados em 1 e outro. Algumas experiências que geralmente duravam 10 horas agora poderão ser realizados em 10 segundos.

Potencial científico

O Sirius poderá trazer avanços nas áreas da saúde, energia, agricultura e até mesmo em pesquisas que abordam rochas e petróleo.

Exames do cérebro humano poderão ser aperfeiçoados, trazendo avanços nas descobertas sobre doenças degenerativas como Alzheimer e Parkinson. Na energia, baterias poderão ser melhoradas, trazendo mudanças na duração, valores, tamanho e segurança.

Nas pesquisas sobre produção do petróleo, há potencial para diminuição dos custos e crescimento na produção de locais que geram o pré-sal. No setor da agricultura, o aparelho poderá possibilitar novas descobertas sobre o solo, profundidade, além do aperfeiçoamento de pesticidas.

Expectativas

Diretor geral do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) e diretor do projeto Sirius, Antônio José Roque da Silva espera que os R$ 270 milhões previstos no projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) pelo atual governo sejam aprovados sem emendas pela Câmara dos Deputados, uma vez que o valor é o necessário para a conclusão das obras do ano que vem, com abertura do equipamento aos pesquisadores com seis linhas ativas no segundo semestre.

Silva mostra otimismo de que o próximo governo mantenha o investimento nas áreas de ciências e tecnologia, principalmente pelo fato de o presidente eleito, Jair Bolsonaro, já ter indicado o futuro ministro da pasta. “O que eu entendo com isso [indicação do Marcos Pontes],é um reconhecimento que o presidente eleito está dando para a área”, destaca.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, disse que o feixe de luz começa a circular a partir de hoje em fase experimental. Na próxima semana, os cientistas ocuparão as suas salas nos laboratórios e instalações de pesquisa, que serão abertos às comunidades científica e industrial. A pesquisa efetiva terá início no próximo ano.

“Sempre se diz que o Brasil é o país do futuro. Eu diria que, face a essa inauguração, o futuro já chegou. O Brasil, o estado de São Paulo, a ciência e Campinas engrandeceram”, disse o presidente Michel Temer na ocasião da inauguração. Temer destacou que o projeto, totalmente nacional, contou apenas com fornecedores brasileiros. “Presenciamos um Brasil que avança a passos largos, e passa a integrar o seletíssimo grupo de países que dispõem de um acelerador de elétrons de quarta geração”, declarou.

*Com informações do Poder 360, G1 e Agência Brasil

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Neusa Galli Fróes
    Froés berlato associadas

    Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • neusa@froesberlato.com.br
    Telefones:
    (51) 3388 6847 / (51) 9123 6847

    E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311