Imprensa
CRISE ECONÔMICA

Vendas no comércio em 2015 têm maior queda da história, diz IBGE

Varejo acumulou baixa de 4,3% no ano; série histórica teve início em 2001. Recuaram as vendas de móveis, hipermercados e roupas

16 de fevereiro de 2016 às 19:25

Com o aumento das taxas de juros e a diminuição da renda dos consumidores, as vendas do comércio varejista brasileiro despencaram em 2015 e fecharam o ano em queda de 4,3% – a maior da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), iniciada em 2001.

Dezembro, mês em que as vendas tendem a aumentar, registrou recuo de 2,7% sobre novembro, interrompendo uma sequência de duas taxas positivas. Segundo o IBGE o setor, nessa base de comparação, está 9,5% abaixo do ponto mais alto da série, observado em novembro de 2014.

Já na comparação com o mesmo mês de 2014, o varejo vendeu 7,1% a menos.

Foto: Divulgação/Agência Pará
Foto: Divulgação/Agência Pará

Eletrodomésticos e alimentos

No ano, a queda mais expressiva partiu do segmento de móveis e eletrodomésticos (-14%). Segundo o IBGE, esse desempenho pode ser atribuído ao aumento das taxas de juros do crédito e à queda na renda dos consumidores.

Os hipermercados e supermercados também venderam menos no ano passado. A baixa de 2,5% foi a maior desde 2003, influenciada também pela queda da renda dos trabalhadores e pelo aumento dos preços dos alimentos.

Recuaram ainda as vendas de tecidos, vestuário e calçados (-8,7%) e de combustíveis e lubrificantes (-6,2%).

Outros setores também tiveram taxas negativas, mas pesam menos no cálculo geral do varejo. Entre essas atividades, estão livros, jornais, revistas e papelaria (-10,9%); equipamentos e material de escritório, informática e comunicação (-1,7%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (-1,3%).

O único setor que não sofreu queda nas vendas foi o de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, que cresceu 3% em 2015. Apesar do resultado positivo, essa alta foi a mais baixa da série histórica do setor, de acordo com o IBGE.

Na análise do comércio varejista ampliado, que inclui outros dois setores, as quedas foram as mais intensas da história. As vendas de veículos, motos, partes e peças caíram 17,8% e as de material de construção, 8,4%.

“O consumidor vem se adequando a esse momento da forma que é possível, tentando não entrar em endividamento, já que os juros estão 38% acima do que em dezembro de 2014. Portanto, as famílias vêm se organizando para evitar entrar em dívidas e comprometer o orçamento familiar”, disse Isabella Nunes, gerente de Serviços e Comércio do IBGE.

Dezembro fraco

De novembro para dezembro, a maioria dos segmentos do varejo brasileiro mostrou taxas negativas. As vendas de móveis e eletrodomésticos também recuaram 8,7%, influenciando o resultado geral do comércio nessa base de comparação.

Recuaram ainda os ramos de outros artigos de uso pessoal e doméstico (-3,6%); hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,0%); tecidos, vestuário e calçados (-2,1%), livros, jornais, revistas e papelarias (-1,4%) além de escritório, informática e comunicação (-9,1%).

Só aumentaram as vendas os segmentos de artigos farmacêuticos e de combustíveis e lubrificantes (0,5%). Considerando o varejo ampliado, cresceu o comércio de veículos (0,4%) e material de construção (1,1%).

“O recuo está espalhado entre as atividades, ou seja, ele não está concentrado. Seis das oito atividades mostram queda. Sendo que o impacto está muito concentrado nos setores de bens duráveis, como moveis e eletrodomésticos, equipamentos de informática, principalmente tablets e smartphones”, analisa Isabella.

A gerente ressaltou que “devido às promoções e antecipação das vendas que vinham ocorrendo em novembro, essas atividades [bens duráveis] tiveram desempenho muito bom em novembro. E isso também contribuiu para esse resultado de queda de 2,7% em dezembro”. “Se você antecipa as suas compras de final de ano, se você compra um celular em novembro, você não compra outro em dezembro”, disse a gerente.

Receita

No ano, a receita nominal do comércio cresceu 3,2%. Na comparação de dezembro contra o mês anterior, a queda foi de 1,9%, mas frente a dezembro de 2014, foi registrada alta de 2,8%.

Fonte: G1

Últimas Notícias

Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede
Poder da Rede 16 de julho de 2024 às 15:21

Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede

Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior
Entrevista 16 de julho de 2024 às 12:32

Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior

Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto
Economia 16 de julho de 2024 às 12:26

Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto

Dólar sobe após atentado a Donald Trump Dólar sobe após atentado a Donald Trump
Economia 15 de julho de 2024 às 16:53

Dólar sobe após atentado a Donald Trump

Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou
Política 12 de julho de 2024 às 16:31

Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou

Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária
Economia 12 de julho de 2024 às 14:33

Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária

Serviços

Ver todos

Soluções dedicadas ao empresário brasileiro

Conheça nossos serviços para a sua empresa.

Conhecimento e informação nos conecta

Compartilhamos conteúdo do seu interesse

  •  

Eventos

Ver todos

Agenda dos Eventos Empresarias

Participe dos eventos organizados por entidades que apoiam os empresários do Brasil.

Busca

Fechar

Categorias de Serviços

Fechar

Categorias de Vídeos

Fechar

Entidades

Fechar
Logomarca Hotpixel