1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / DESENVOLVIMENTO

Facmat e Associações Comerciais participam do lançamento do programa “Mobilização pelo Emprego e Produtividade” em MT

Objetivo é mapear entraves que prejudicam o desenvolvimento da economia regional, além de buscar alternativas para gerar competitividade, mais emprego e renda

30 de agosto de 2019 - 10:51

Comitiva com 180 pessoas formada por presidentes e representantes das Associações Comerciais e Empresarias de Mato Grosso marcou presença no lançamento do programa “Mobilização pelo Emprego e Produtividade” no estado, quinto a receber o encontro promovido pelo Ministério da Economia, com o apoio do Sebrae. O evento aconteceu nesta quinta-feira (29.08), no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá, e foi o primeiro a ser realizado na região Centro-Oeste.

A Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso (Facmat) é uma das parceiras do programa, que visa mapear entraves que prejudicam o desenvolvimento da economia regional, além de buscar alternativas para gerar competitividade, mais emprego e renda. “Estamos trabalhando uma grande mudança, para fazer com que investir, crescer e gerar emprego volte a valer a pena. Isso começa desde as micro e pequenas empresas, que são os grandes criadores de emprego no Brasil”, comentou o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do ministério, Carlos Da Costa, ao justificar que o setor respondeu com 92% dos empregos formais no mês passado.

“Precisamos ter menos Brasília e mais Brasil, menos governo e mais empresas, menos dirigismo e mais mercados. É isso que as lições de países mais desenvolvidos nos trazem hoje”, completou Carlos Da Costa, ao criticar a interferência do Estado no ambiente de negócios. “O Governo tem que acreditar na iniciativa privada, é o cidadão acima do Estado. Quem tira o país da crise é o empresário, que era visto de outra forma, mas é quem gera emprego”, afirmou o secretário.

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, lembrou a importância dos pequenos negócios para o desenvolvimento do país. “A saída para o país são as micro e pequenas empresas e os Microempreendedores Individuais (MEI) e o Sebrae está atuando como um instrumento de apoio para que isso aconteça. Somos como uma agência de desenvolvimento em favor da produtividade”.

Com o entendimento de que a mobilização é grande por parte das Associações Comerciais, frente à possibilidade da retomada da economia, o presidente da Facmat, Jonas Alves, defendeu a desburocratização de medidas que travam os negócios e destacou a importância da liberdade econômica para o setor. “Queremos menos travas na legislação. Para melhorar o sistema e aumentar a competitividade é fundamental ter menos burocracia. Buscamos isso e apoiamos o movimento com representantes de Associações Comerciais de vários municípios que vieram aqui hoje prestigiar o evento”, finalizou.

Após o lançamento, Carlos Da Costa e Melles se reuniram com prefeitos de diversos municípios e representantes das Facmat e das Associações Comerciais para colher suas principais reivindicações. Mato Grosso possui atualmente 248 mil pequenos negócios, sendo que 60% são MEI. O segmento representa 99% das empresas no estado e respondem por 35% do PIB local, 63% da massa salarial de todas as corporações e geração de 67% dos empregos com carteira assinada.

Expectativa

Para o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Tangará da Serra (Acits), Júnior Rocha, a iniciativa busca a aproximação governamental com o empresário. “O governo está aproximando mais, querendo ouvir as nossas necessidades, isso é importante para podermos entrar na rota do crescimento novamente”, pontuou.

A expectativa de que o setor ganhe novo fôlego e incorpore a política de incentivo proposta pelo programa traz esperança para as empreendedoras Sandra Baierle e Lori Glesse, presidentes das Associações Comerciais de Diamantino (Acid) e Campo Verde (Acicave), respectivamente.

“Esperamos novidades para o setor do comércio, a expectativa é grande não só para os empresários, mas também de toda a população que ganha com mais empregabilidade”, citou Sandra. Já Glesse, lembra que não basta reclamar da situação atual econômica, mas sim tentar mobilizar o setor e apontar fontes de melhorias. “Essa mobilização é muito importante, pois mostra a força do comércio e da indústria local, essencial para fazer a mudança ocorrer”.

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Cáceres (Acec), Thiago de Lucas Pereira Pinto, comentou que o município é uma cidade polo da região oeste, além de ser atrativo turístico e carece de ações de empreendimentos. “Trouxemos um grupo de empresários da cidade para ouvir as propostas e apresentar também as demandas da nossa região e ter esse contato mais direto, verificar quais são as expectativas de futuro. Estamos aqui para unir forças junto com a Facmat”, reforçou.

Também trazendo propostas para sua cidade, o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Nova Mutum (Acenm), Joelmir José Faccio, ressaltou a importância de que essas ações saiam do papel. “Essa mobilização é muito importante, viemos escutar as bases e trazer propostas novas. A nossa expectativa é que sejam executadas e tragam benefícios para toda a sociedade”, opinou.

O presidente da Associação Comercial de Rosário Oeste (Acero), Nestrázio Rodrigues Ramos, acrescentou que para que haja desenvolvimento no Estado é preciso desburocratizar alguns entraves para as micro e pequenas empresas. “O empresário tendo crédito produz emprego. Portanto, tem que haver uma união entre os governos para desburocratizar e simplificar algumas questões”, concluiu.

Também estiveram presentes representantes de Associações Comerciais de Rondonópolis e Nova Olímpia.

Fonte: Facmat

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311