CACB

  1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / GESTÃO

Com a presença de autoridades políticas, CACB realiza última reunião de Conselho em 2020

Além dos desafios para 2021, convidadas destacaram a concessão de crédito como uma das mais importantes conquistas deste ano

08 de dezembro de 2020 - 16:38

A última reunião do Conselho Deliberativo da CACB foi realizada na manhã desta terça-feira (08) junto do Encontro do Projeto Transformar, e contou com a participação de importantes líderes políticos, econômicos e do sistema associativista do país. Na pauta, as importantes conquistas do empresariado brasileiro durante a pandemia e os desafios para 2021.

Ao abrir a reunião, o presidente da CACB, George Pinheiro, fez um rápido comentário sobre o momento político do Brasil, evidenciando a atuação da Confederação, junto da União Nacional de Entidades de Comércio e Serviços (Unecs), na busca pelo crédito para o micro e pequeno empresário e do auxílio emergencial para a população, entre outros pleitos. “Desde o início da pandemia nós nos preocupamos não apenas em salvar as pessoas físicas, mas também as pessoas jurídicas, que fazem a nossa economia girar, e agimos, junto das autoridades brasileiras, nesse sentido”, declarou.

A videoconferência desta manhã foi dividida em três painéis. O primeiro discutiu a Agenda Política do país, quando o diretor-técnico do Sebrae, Bruno Quick, lembrou que por muitos anos a entidade atuou em prol dos pequenos negócios e que mesmo diante de muitos avanços, importantes mudanças foram sendo postergadas, por diversas questões. “De repente vemos chegar um governo com essas melhorias, trazendo elas no centro de sua agenda”, comentou, elogiando a atuação do Ministério da Economia.

Quick pediu especial atenção dos participantes ao Simples Nacional na questão da reforma tributária, que não pode morrer, ou muitas empresas optantes poderão ser extintas. “Durante a pandemia grandes empresas nos procuraram para pedir proteção aos pequenos. A economia está entendendo que tudo é interligado”, disse.

O diretor-técnico do Sebrae lembrou ainda a importância do projeto Empreender, o qual chamou de menina dos olhos da CACB, e falou da importância do Transformar para o ano de 2021, quando prefeitos e vereadores recém-eleitos assumirão seus postos. “A CACB está presente em quase todo o Brasil, tem uma capilaridade invejável, e essa é a nossa hora de partir para cima. Estamos muito bem equipados e o Sebrae está à inteira disposição de todas as associações comerciais, com todas as ferramentas necessárias para o momento”, destacou.

O senador Jorginho Mello (PL/SC), presidente da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa, acompanhou George Pinheiro e destacou a conquista da concessão de crédito facilitada aos empresários. “Mesmo na pandemia, tivemos uma grande vitória, que foi o Pronampe, que desde o início teve apoio da CACB. Já emprestamos R$ 32 bilhões e temos mais R$ 10 bilhões aguardando aprovação no Congresso Nacional”, disse.

Mello citou outros projetos que estão aguardando votação no Parlamento, e que devem ajudar a desburocratizar a vida do empresário, como o PL 2234 (Simples Trabalhista), o PLP 200 (Moratória de Tributos) e o PLP 224 (Renegociação de dívidas do Simples Nacional). “Foi um ano difícil, mais de muitas conquistas, e a CACB teve importante participação nisso”, finalizou.

O assessor especial do Ministério da Economia, Afif Domingos, em complemento à fala do senador, chamou atenção para o programa Peac Maquininhas, que ainda tem R$ 10 bilhões disponíveis para empréstimos de até R$ 50 mil via maquinas de cartão. Segundo ele, se não for usado até 31 de dezembro, o dinheiro será devolvido ao Tesouro. “Precisamos dar um reforço nesse assunto, para não perdermos a oportunidade”, lembrou.

A Lei do Contribuinte Legal foi o principal ponto da fala do presidente da Frente Parlamentar das Associações Comerciais do Brasil, o deputado Marco Bertaiolli (PSD/SP). Segundo eles, as ACEs tiveram importante papel na construção da matéria e na inclusão das micro e pequenas empresas. A norma facilita a relação do empresário com o Fisco, que deixa de lado regras gerais para regularizações tributárias e passa a atuar de acordo com a realidade de cada empresa.

“Precisamos divulgar a existência da lei, contando com o apoio de todas as entidades do Sistema CACB e do Sebrae. Em janeiro, a Facesp vai divulgar uma cartilha com orientações aos empreendedores brasileiros e contamos com a rede na divulgação do material”, disse Bertaiolli.

Para concluir a agenda política do dia, o deputado Efraim Filho (DEM/PB), presidente da Frente Parlamentar de Comércio, Serviços e Empreendedorismo, voltou a destacar o acesso ao crédito como uma das principais conquistas dos empresários em 2020. No entanto, observa ele, é preciso trabalhar para que os programas não morram após a pandemia, mas que se tornem permanentes. “Precisamos de uma mudança de mentalidade nas instituições, nos bancos e também no empreendedor, que ainda tem certa aversão ao crédito, muito em função dos descontroles dos juros no passado”, pontuou.

Para o deputado, a meta para o Brasil em 2021 é reencontrar o rumo do desenvolvimento, para voltar a crescer e recuperar os empregos, apesar dos desafios que o novo ano trará, principalmente no que diz respeito à questão fiscal. “Precisamos controlar os gastos públicos e estimular investimentos privados, créditos, privatizações, concessões, entre outras medidas”, afirmou.

Agenda Econômica

Em um segundo momento, a Agenda Econômica entrou na pauta, mediada pelo presidente do Conselho Consultivo da CACB, José Paulo Cairoli. Na ocasião, o  Administração e Finanças do Sebrae, Eduardo Diogo, destacou o trabalho e a dedicação do empresário brasileiro em meio à pandemia. Para ele, o 2020 mostrou que a capacidade de se adaptar é fundamental e que é assim que a gente consegue traçar cenários diante de novos pontos de vista. “Mais de 60% dos empreendedores do país estão funcionando com mudanças e 21% deles fizeram sua primeira venda pela internet. O mundo online se descortinou para as empresas e todas vão precisar estar no meio digital daqui para a frente”, afirmou.

Para Diogo, participar cada vez mais da política é a melhor maneira de os empresários alcançarem o Brasil que tanto desejam. “Precisamos avançar na integração entre as entidades e os líderes políticos”, concluiu.

Afif Domingos lembrou que em 2021 vamos ter, o governo e os empresários, de pagar a conta de todas essas conquistas, além das incertezas a serem enfrentas, já que o vírus da Covid-19 ainda está entre nós e com intensidade. “Temos de usar o bom senso para evitar a expansão da pandemia, para preservamos vidas e a economia”, disse, destacando que atingimos este ano o patamar da menor taxa de juros da história.

Para o assessor especial do Ministério da Economia, até que seja concluída a escolha dos novos presidentes da Câmara e do Senado nenhuma matéria importante será votada, o que levará a questão do orçamento para, no mínimo, fevereiro do ano que vem. Além disso, destacou o desejo do ministro Paulo Guedes desonerar o emprego para facilitar a contratação dos milhões de desempregados no país.

Afif também destacou o crédito como conquista de relevância. “Precisamos reforçar as garantias para manter os programas vivos e oxigenar o crédito para o ano que vem”, pontuou.

Produtos e Serviços

Para encerrar a reunião, o terceiro painel tratou do tema transformação digital, apresentando aos participantes o projeto da CACB para ampliar a oferta de produtos e serviços na própria confederação, além das federações e associações comerciais em todo o país.

De acordo com o diretor-financeiro da CACB, Jonas Alves, está sendo criado um modelo de negócios para fortalecer o sistema, de uma maneira como nunca aconteceu. O primeiro produto, em parceria com a Safeweb, é o Certificado Digital, que vem com o objetivo de fortalecer o caixa das entidades do Sistema.

“Estamos focados nisso e vamos atrás de apoio, comprometimento e colaboração para alcançarmos nossos objetivos e melhorar o ambiente de negócios e as finanças de toda a nossa cadeia”, declarou.

Durante o painel, Luiz Carlos Zancanella, presidente da Safeweb, fez uma apresentação sobre transformação digital e destacou a parceria com a CACB. “É importante termos uma rede não apenas de associados, mas colaborativa, de conhecimento e de troca de experiências, esse é o nosso grande desafio”, disse.

Orlando Paulo Santos, presidente da WebSIA, representante da plataforma Zoom no Brasil, falou sobre as soluções de suporte, capacitação, customização e integração que oferece a diversas empresas e que, em parceria com a CACB, deve oferecer às entidades a partir do ano que vem. “O mundo digital veio para ficar, e se não capacitarmos as empresas, não vai haver crescimento”, declarou.

Jorge Ribeiro, CEO da Gertec, encerrou o evento apresentando uma plataforma de negócios que poderá ser disponibilizada a todo o sistema CACB e que vai oferecer uma plataforma de serviços financeiros, que além de condições e taxas diferenciadas, possam estar integradas às entidades e aos lojistas. “Queremos acelerar esse trabalho em 2021 e temos um potencial enorme”, disse.

Os produtos e serviços citados fazem parte da cesta que o Projeto Transformar está apresentados às entidades onde já está atuando, como forma de melhorar o ambiente de negócios para a micro e pequena empresa.

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311