CACB

  1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / EMPENHO

Bolsonaro diz que tem compromisso com reformas e projetos para reduzir o ‘custo Brasil’

Presidente afirmou que a economia brasileira já “retomou o seu crescimento e geração de empregos”, e se comprometeu a buscar mais “abertura e liberdade econômica”

31 de maio de 2021 - 16:11

Fernando Frazão/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro garantiu hoje, em recado a investidores, estar empenhado em reformas e projetos estruturantes para diminuir o “custo Brasil”, estimular liberdade econômica e dar segurança ao ambiente de negócios. Em discurso durante abertura do Fórum de Investimentos Brasil 2021, promovido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), o presidente disse que a Economia brasileira “já retomou seu crescimento”.

Diferentemente da maioria de suas manifestações, reconheceu a gravidade da pandemia e lamentou as mortes por covid.

O presidente abriu o discurso ressaltando que o fórum deverá receber 60 projetos de investimentos, com um valor de carteira estimado em cerca de US$ 72 bilhões. A partir disso, espera-se que o país receba aproximadamente US$ 50 bilhões em investimentos e gere 22 mil empregos entre 2021 e 2022.

“Meu governo tem compromisso com reformas e projetos estruturantes para reduzir o ‘custo Brasil’. Trata-se de aperfeiçoar normas e políticas para melhorar o ambiente de negócios. Para isso, desenhamos soluções tributárias que asseguram a estabilidade macroeconômica em contexto de desafios orçamentários. Engajamos o setor privado, nacional e estrangeiro, na solução de nossos conhecidos gargalos logísticos e de infraestrutura”, destacou o presidente, em manifestação ao vivo, por videoconferência.

Como uma das dez maiores receptoras de investimentos estrangeiros diretos no mundo, Bolsonaro afirmou que a economia brasileira já “retomou o seu crescimento e geração de empregos”, e se comprometeu a buscar mais “abertura e liberdade econômica”, com acordos econômicos “amplos e modernos”.

“Por essa razão, entre outras, queremos nos tornar membros da OCDE. Defendemos um sistema multilateral de comércio sem protecionismo, fundamentado em regras. Por isso, buscamos fortalecer a OMC. Desejamos intensificar a interação econômica com nossa região, o que significa um Mercosul e uma América do Sul mais dinâmicos, livres e democráticos”, pontuou.

Ao projetar o futuro do desenvolvimento do país, o presidente citou a região Centro-Oeste, com potencial agropecuário, e o Norte, que vive o paradoxo de possuir riquezas naturais e apresentar os piores índices de desenvolvimento do Brasil.

“Em ocasião mais recente, durante a última Cúpula do Clima, chamei a atenção para o ‘paradoxo amazônico’ em que o baixo desenvolvimento contrasta com a riqueza ambiental única no planeta. A adequada remuneração dos serviços ambientais prestados pela região amazônica, a concretização da bioeconomia e a exploração sustentável dos recursos florestais, minerais e agrícolas de forma inovadora são imperativos para superar esse paradoxo”, frisou.

Diferentemente da postura adotada em atos políticos, manifestações e no contato diário que tem com apoiadores, Bolsonaro reconheceu a gravidade da pandemia, exaltou esforços para vacinação e deixou de citar suas principais bandeiras ao tratar da doença, que envolvem críticas ao isolamento social e a defesa de medicamentos sem eficácia comprovada.

Fonte: Valor Investe

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311