1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / Varejo

Indicador da ACSP aponta queda de 20% nas vendas em 2016

Principais motivos para o recuo são a a elevação da taxa de juros, a retração do crédito, a baixa confiança do consumidor e a alta do dólar

21 de janeiro de 2016 - 13:52

O Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) referente à primeira quinzena de janeiro aponta uma queda média de 20% no movimento de vendas do comércio varejista da capital paulista, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Isoladamente, houve quedas de 18,7% nas comercializações a prazo e de 21,4% nas vendas à vista.

Os motivos dos recuos mais acentuados em 2016 são vários. Nas vendas a prazo, as principais causas são a elevação da taxa de juros, a retração do crédito, a baixa confiança do consumidor e a alta do dólar. Alia-se a esses fatores o fim dos incentivos fiscais a eletroeletrônicos como computadores, smartphones e tablets.

Já as vendas à vista foram impactadas substancialmente pela queda da massa salarial e pela elevação do dólar, que encareceu artigos de vestuário e calçados, por exemplo.
A opinião do nobel de economia

Joseph Stiglitz, prêmio Nobel de Economia

Joseph Stiglitz, prêmio Nobel de Economia

Em avaliação feita por Joseph Stiglitz, prêmio Nobel de Economia, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, o Banco Central brasileiro estrangula a economia.

Às vésperas da reunião do Copom, em que se acredita que o Banco Central (BC) pode subir mais uma vez os juros, Stiglitz comentou:

“Vocês têm uma das mais altas taxas de juros no mundo. Se o Brasil reagisse à queda no preço das exportações com medidas contracíclicas, o país talvez pudesse ter evitado a intensidade da atual crise. Outra questão é que, sempre que ocorrem escândalos de corrupção da magnitude do que acontece agora no Brasil, a economia é jogada para baixo. Isso cria uma espécie de paralisia”, afirmou o economista em entrevista à Agência Estado também publicada no Diário do Comércio.
Comparação mensal

Para fins de comparação, a primeira quinzena de janeiro de 2015 teve queda média de 3,3% em relação ao mesmo período de 2014.

Frente à primeira quinzena de dezembro de 2015, as quedas no movimento do comércio varejista paulistano foram ainda maiores, por fatores sazonais – o Natal e a injeção do 13º salário na economia. Os recuos foram de 33,4% nas vendas a prazo e de 42,3% nas vendas à vista. Na média, o tombo foi de 37,85%. É importante ressaltar que a primeira quinzena de janeiro também teve um dia útil a menos.
“Essas retrações já eram esperadas. Contudo, não podem ser projetadas para o restante do ano, uma vez que há expectativa de alguma melhora a partir do segundo trimestre”, diz Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

Fonte: ACSP

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Neusa Galli Fróes
    Froés berlato associadas

    Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • neusa@froesberlato.com.br
    Telefones:
    (51) 3388 6847 / (51) 9123 6847

    E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311