CACB

  1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / Fernando Honorato

Economista-chefe do Bradesco vê impulso para o comércio com a chegada da vacina

"Todas as regiões do Brasil já superaram a atividade de antes da pandemia", afirmou Fernando Honorato

11 de novembro de 2020 - 09:58

RIO DE JANEIRO, BRAZIL – APRIL 05: A shopper walks beneath a Brazilian flag in the Saara discount shopping district on April 5, 2016 in Rio de Janeiro, Brazil. Brazil is in the midst of what is expected to be its worst recession in 100 years along with a major political crisis ahead of the Rio 2016 Olympic Games. (Photo by Mario Tama/Getty Images)

O economista-chefe do Bradesco, Fernando Honorato, disse que vários estímulos que ocorreram neste ano terão efeitos a partir do ano que vem, apesar do fim do auxílio emergencial. “Todas as regiões do Brasil já superaram a atividade de antes da pandemia”, afirmou no Bradesco Day, evento que acontece de forma virtual este ano, pelo LinkedIn.

Ele frisou, ainda que os serviços devem seguir em recuperação já vista na indústria e o comércio terá um impulso com a chegada da vacina.

Honorato observou que os depósitos nos bancos cresceram R$ 1 trilhão, um indicativo de que o consumo vai chegar.

Assim, a expectativa é de quando houver a retirada dos estímulos da economia, com o fim do auxílio, esse dinheiro será sacado e compensará o consumo perdido, ajudando a atenuar um impacto na atividade econômica. “Por isso, teremos uma transição suave, com desaceleração da economia, mas sem recessão, nem sequer parecida com a que vimos neste ano, afirmou.

O economista-chefe do Bradesco disse, contudo, que o risco da segunda onda de covid-19, que já acontece na Europa e nos Estados Unidos, é relevante. No Brasil essa segunda leva de infecção ainda não é clara, mas pode influenciar a atividade em 2021.

Ainda sobre a economia local, a dívida do Brasil, que caminha para atingir 100% do PIB, segundo ele, é manejável, “mas exige manutenção do teto de gastos”. Fora isso, ele reiterou que é preciso manter a agenda mínima de reformas estruturantes.

Fonte: Agência Estado

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311