CACB

  1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / GESTÃO

Donos de micro e pequenos negócios superam a crise com gestão financeira equilibrada

A organização financeira do negócio dá ao empreendedor mais segurança na hora de tomar decisões que impactam diretamente nos resultados

30 de junho de 2021 - 10:37

Foto: Reprodução

Seja no momento de ideação, no período de crescimento ou mesmo na hora de pivotar o negócio… Independentemente da fase que a micro ou pequena empresa esteja vivendo, a gestão financeira é um fator elementar para os resultados do empreendimento. Por meio de um bom planejamento das finanças é possível ter segurança para tomar decisões mais acertadas, especialmente em momentos de crise.

Organização é palavra-chave para uma boa gestão financeira: controlar contas a receber e a pagar, ter um fluxo de caixa mapeando entradas e saídas diariamente, analisar a oferta e aplicação de recursos para o crescimento da empresa, fazer um planejamento estratégico com metas e ações a serem implementadas, calcular o ticket médio, entre outras. Esses são alguns exemplos de comportamentos fundamentais para manter a saúde da empresa.

O administrador Henrique Kagohara reconhece a importância de um bom planejamento financeiro. Criador do @laboratoriodapesca, empresa de artigos para o esporte em funcionamento desde 2018, Henrique vem colhendo os frutos de sua organização desde que pensou em empreender. “O projeto Laboratório da Pesca começou em 2016, durante uma pescaria com um amigo, que hoje é meu sócio, Danilo Almeida. Pensamos em criar uma loja para vender produtos especializados e começamos nosso planejamento. Fizemos pesquisa de mercado, ouvimos mais de 200 pessoas que pescam, visitamos concorrentes, fizemos um plano de negócios com mais de 80 páginas. A internet tem muito conteúdo disponível, é bobeira começar sem informações. Na época, os dois trabalhavam em outras empresas, tínhamos tempo para esse aprofundamento”, recorda.

Henrique Kagohara e Danilo Almeida fundaram, após dois anos de planejamento, a empresa que hoje, mesmo com a pandemia, apresenta um crescimento de 40% por ano. “No primeiro ano era tudo baseado em estudos. A partir desses primeiros doze meses de funcionamento, construímos indicadores para os próximos anos. Sabíamos o quanto tínhamos crescido, sabíamos para onde ir. Em 2019, tivemos um crescimento absurdo de 145% em relação ao ano anterior. Em 2020, pensamos que íamos estourar as vendas, todo final de ano projetamos as metas para o ano seguinte. Após análises, colocamos a meta de 40% de crescimento, em janeiro e fevereiro conseguimos alcançar, até que fomos afetados pela pandemia. Tivemos que suspender as atividades”, conta Kagohara.

Surpreendidos com as medidas de isolamento social, os gestores do Laboratório da Pesca foram rápidos em inserir a empresa no universo das vendas digitais. “Imediatamente lançamos drive thru e delivery, intensificamos atendimentos via Whatsapp. Nossa maior preocupação era manter o fluxo de caixa. Apostamos no uso das redes sociais, começamos a publicar no “Google meu negócio”, no Linkedin, lançamos nosso site e estamos conseguindo manter as metas estabelecidas”, comenta Henrique. Agora, com a retomada do funcionamento da loja física, em São Paulo, o empreendedor diz que os resultados continuam surpreendendo. “Nosso relacionamento online criado com os clientes contribuiu muito para essa retomada gradual. As expectativas para esse ano continuam boas e acredito que vamos bater a meta”, afirma.

Organização que possibilitou a reinvenção

A Aroma Cafés e Eventos (@aromacafeeventos), negócio fundado e administrado por Marina Salum, há mais de dez anos, também sentiu os efeitos da pandemia. A empreendedora do setor de eventos, um dos mais afetados pela crise financeira, realizava coffes breaks e reuniões comemorativas em empresas. “Me formei em turismo e hotelaria, com pós em administração financeira. Sempre busquei muito conhecimento, faço vários cursos com Sebrae. Até janeiro de 2020, estava tudo fluindo com a minha empresa, eu ganhava muito bem. Até que tivemos que suspender todos os eventos e fiquei em casa, foi desesperador”, relata.

Através de sua organização financeira muito bem articulada, Marina percebeu que poderia criar cestas comemorativas para fornecer às empresas, que agora fazem os eventos com os colaboradores em casa. “No começo, cheguei a usar as coisas que tinha em estoque, na geladeira mesmo… pãezinhos, croissants, sucos, geleias. Passado um tempo, quando vi que estava tendo resultados e estava com pouca receita, decidi fazer um empréstimo. Procurei o Sebrae e fiz um crédito guiado, sendo orientada, foi a melhor escolha. Investi em embalagens, produtos, fiz uma consultoria para definir a persona do meu negócio, estou aumentando a minha presença nas redes e buscando parcerias. Neste momento, estamos fazendo cestas em parceria com construtoras, para pessoas que acabaram de comprar seus apartamentos”, comenta a empreendedora.

Marina Salum já vendeu cestas em Florianópolis, Balneário Camboriú e São Paulo. “Foi um processo de reinvenção para uma crise totalmente imprevisível. Não pretendo parar com os eventos. Assim que tivermos segurança sanitária vamos retomar. Entretanto, é muito gratificante ver que podemos nos superar, mesmo em momentos tão difíceis. Acredito que ter uma organização financeira me ajudou a ter mais segurança”, diz.

Para o analista de capitalização e serviços financeiros do Sebrae, Weniston Abreu, os dois cases ilustram como os empreendedores precisam sempre buscar melhorar sua gestão financeira, fazendo cursos e buscando ajuda especializada. “O que tiramos desses dois casos mostra a importância de você ter um planejamento e monitorar as finanças ao longo da existência do negócio. Esse monitoramento sistemático permite que, em momentos de crise, ainda que sejam imprevistos, você consiga tomar decisões que não comprometam o fluxo financeiro”, indica.

“No caso da reinvenção, por exemplo, com certeza houve queda de faturamento. Percebendo isso, a pessoa lançou um novo produto. Essa é grande lição dos dois casos, ter um planejamento facilita a mudança de rumos, independente do cenário que a empresa está vivendo. Quando você consegue visualizar a saúde da empresa através dos números, é mais fácil tomar decisões que impulsionam os resultados”, orienta o analista do Sebrae.

Mês do crédito

O Sebrae vai realizar, neste mês de junho, um conjunto de ações voltadas a orientar os empreendedores sobre questões relacionadas ao crédito e à gestão financeira de seus negócios. Uma das iniciativas é o lançamento do portal Radar Financeiro. A página traz uma série de conteúdos interativos sobre crédito e finanças, onde os usuários podem saber mais sobre as diversas opções de crédito existentes no mercado, entender se a empresa precisa – realmente – de um empréstimo, conhecer alguns mitos e verdades que envolvem o tema, além de acessar vídeos, textos e cursos online gratuitos sobre o assunto. Confira também, no Instagram do Sebrae, uma série de eventos online que serão realizados ao longo de todo o mês com especialistas convidados.

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311