1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / COOPERAÇÃO

AL-Invest no Brasil termina com casos de sucesso emocionantes

CACB recebeu empresários e representantes da Cainco, líder do consórcio executor do maior projeto de cooperação internacional da União Europeia na América Latina, e das entidades que recebem apoio financeiro direto do programa – Assintecal, CNI, Facisc e Sebrae-PA

14 de outubro de 2019 - 10:07

O AL-Invest 5.0 já atendeu nesta edição cerca de 10 mil empresários brasileiros com o investimento de 3 milhões de euros em projetos de fortalecimento de micro e pequenos negócios no país. A Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), que é a representante nacional no consórcio executor e também monitora os projetos das entidades atendidas diretamente pelo programa, apoiou 260 ações de quase 3 mil empresas em nove estados, superando as metas estipuladas inicialmente.

Para analisar todos os resultados das entidades participantes no país, foi organizado o encontro AL-Invest no Brasil 2019, na capital federal. No segundo dia de evento (11), foi a vez dos empresários beneficiados compartilharem seus resultados e experiências com o projeto. Houve, ainda, exposição de produtos dos participantes: frutas e alimentos orgânicos, cervejas artesanais, peças de lingerie, e outros materiais promocionais.

Exemplos de boas práticas

O primeiro caso de sucesso apresentado foi o do agricultor José Cícero dos Santos, do município de Messias (Alagoas). A consultora Vanessa Santos, da Associação Comercial de São Miguel (Acem), apontou que, por meio das capacitações do AL-Invest, o empreendedor implementou o sistema de irrigação por gotejamento e boas práticas de gestão, além de iniciar a produção de seu próprio fertilizante através da compostagem, do minhocário e do esterco curtido.

Graças às mudanças, Cícero conseguiu ampliar a produção de abacaxi e usá-la como fonte de renda extra, aumentando o cultivo de 5 mil pés da fruta para 10 mil unidades. “O projeto possibilita ao empresário viver da sua terra, ter suporte para se manter, trabalhando a agroecologia, respeitando a natureza, o solo, as nascentes”.

A consultora do Núcleo de Cervejarias da Aciub, Janayne Nunes, apresentou o caso de sucesso dos produtores de cerveja que, por meio do AL-Invest, participaram de cursos de sommelier e de tecnologia cervejeira. Os empresários obtiveram apoio também para a promoção de concursos caseiros. “O Empreender, o AL-Invest 5.0 e a Aciub foram os grandes apoiadores para fazer tudo acontecer”, afirmou o empreendedor Tiago Magalhães, que passou da produção caseira mensal de 40 litros para 4.000 litros em uma fábrica, em menos de um ano.

O projeto do núcleo setorial de Ostraicultura do Sebrae Pará foi o vencedor do concurso “Transformando Vidas”, na categoria “Melhoria da Produtividade e Inovação nas MPEs”, realizado na Guatemala em junho de 2018, pelo AL-Invest 5.0, ressaltou a conselheira Ana Conceição de Souza. Ela introduziu a fala do produtor de ostras Miguel Edson: “Sou grato ao programa porque obtivemos qualificações em todos os sentidos. Isso foi possível graças aos parceiros que temos”, relata o empreendedor, que aumentou sua produção e comercialização de ostras com o apoio das atividades do AL-Invest 5.0. O faturamento foi de R$7.785, em 2017, para R$ 27.747, em 2018.

A empresária nucleada à Facisc, Rejane Silva Sánchez, é proprietária de uma empresa prestadora de serviços de advocacia. Com o ingresso no associativismo, ela teve acesso aos benefícios do trabalho em rede, principalmente para mulheres empreendedoras. Os resultados mais expressivos obtidos com o programa AL-Invest foram o aumento de sua rede de relacionamento e o crescimento de 35% em seu negócio.

Há 4 meses, a empresária foi convidada por um dos maiores veículos de comunicação de Santa Catariana, a NSCTV, para apresentar mensalmente, em horário nobre, um programa estadual sobre direitos: “Essa participação tem contribuído para que eu alcance a minha visão de negócio, que é ser referência em negócio jurídico no mercado catarinense”.

O empresário Mateus de Mello, diretor da Formello Formas, obteve apoio do AL-Invest e da Assintecal para o processo de internacionalização. De 2018 para cá, a taxa de exportação da empresa, voltada para o segmento calçadista, cresceu em 20%. “O projeto nos mostra vários panoramas do mercado, por exemplo, onde seria importante investir e onde não é prioridade, ou como está o mercado externo e o interno”, afirmou.

O caso de sucesso da CNI foi da empresária do ramo de moda íntima e moda feminina de luxo, Cristina Gontijo, de Belo Horizonte. Ela falou sobre o apoio do AL-Invest no início do processo de exportação, na capacitação de seus funcionários e na redução de desperdício têxteis. A partir do plano de ação desenvolvido, a empreendedora já exportou para a Dinamarca, e atualmente está em prospecção com outros mercados como Estados Unidos e América Latina. O Rota Global, desenvolvido no âmbito do AL-Invest 5.0 pela CNI, atende MPEs interessadas em aumentar sua competitividade e atuar no mercado internacional.

Avaliação dos resultados

Após as apresentações – “algumas emocionantes e todas estimulantes, exatamente como essas referências devem ser desenvolvidas para orientar a interação e a troca entre os empresários”, como garantiu o consultor da CACB Renato Rossi, os participantes foram envolvidos em uma atividade que usa a metodologia SWOT, um tipo de análise que identifica problemas e soluções dentro de uma organização, por meio da observação de fatores internos (forças e fraquezas) e externos (oportunidades e ameaças). A atividade, já implementada pela CACB em outros eventos, foi moderada pela consultora Yonara Medeiros.

A análise SWOT fez a avaliação do processos implementados por meio do programa AL-Invest. Segundo a moderadora, a partir dos aprendizados é possível planejar e melhorar os resultados futuros: “A ideia é avaliar a construção e a implementação do programa – desde a definição do escopo, as metodologias propostas e utilizadas, a gestão e a distribuição dos recursos – e, a partir da visão de cada instituição participante, identificar os impactos e o retorno do projeto”, define Yonara.

Divididos em grupos, os técnicos envolvidos mapearam os principais pontos, as inovações e as dificuldades que vivenciaram. O programa foi avaliado como positivo, com resultados reais e visíveis, apesar de dificuldades enfrentadas durante a execução.

Carlos Rezende, coordenador executivo da CACB e responsável pelo projeto na entidade, agradeceu o esforço das entidades e dos profissionais presentes e descreveu que o sistema das associações comerciais obteve muitos ganhos com o desafio de fazer parte do AL-Invest 5.0: “Foi um aprendizado muito interessante, entender as metodologias aplicadas por outras entidades empresarias tão representativas e ter a oportunidade de colaborar com nossa expertise com núcleos setoriais, por meio do programa Empreender. Só podemos agradecer a confiança em nosso trabalho.”.

“O capital humano é básico em todas as instituições – não chegamos a lugar nenhum sem as pessoas, mesmo que tenhamos os processos estabelecidos. A Cainco tem o privilégio de ser coordenadora deste projeto e fica claro, com este evento enriquecedor, a magnitude do trabalho que, só agora, ao final da caminhada, conseguimos mensurar”, concluiu Bernardo Arce, executivo da entidade boliviana.

Fonte: Empreender

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311