1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / UNECS

Reformas estruturais são o caminho para reconstruir o Brasil, defende Padilha

O Ministro da Casa Civil deu palestra nesta quarta-feira (17) aos participantes do 28º Congresso Nacional Abrasel

17 de agosto de 2016 - 15:34
web.IMG_7849

Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil, palestra no 28º Congresso Nacional Abrasel

No painel Brasil Empreendedor, o ministro Eliseu Padilha, da Casa Civil, apresentou as soluções que o governo encontrou para colocar o país nos trilhos do desenvolvimento econômico. A palestra fez parte da programação do 28º Congresso Nacional Abrasel, que ocorre de em Brasília, de 16 a 18 de agosto.

Padilha afirmou que o Brasil é um mar de oportunidades e será por meio delas que o país se reerguerá da crise em que se afundou. Segundo o ministro, o governo de Michel Temer encontrou uma situação calamitosa ao assumir a interinidade: um déficit de R$ 170,5 BI, inflação de 2 dígitos e 11 milhões de brasileiros desempregados.

A estratégia do governo interino é, a partir de sua “equipe econômica dos sonhos”, realizar as mudanças necessárias. “Às vezes, o necessário vai um pouco além do possível”, disse Padilha. Entre as reformas estruturais, o ministro pontuou o ajuste e a reforma fiscal, com o estancamento de despesas do governo e fim da guerra do ICMS; reforma trabalhista, com regulamentação da terceirização e valorização do acordado sobre o legislado; e a reforma política, com a proibição das coligações nas eleições proporcionais e inserção da cláusula de desempenho, que restringe o funcionamento parlamentar a partidos que não alcançarem determinado percentual de votos.

“Com essas duas regras, nós passaríamos a ter de oito a doze partidos no Brasil, e não 35”, observou o ministro.

Para Padilha, porém, a reforma mais urgente é a da Previdência, que vem apresentando déficits sucessivos de R$ 89 BI, em 2015, e R$ 149 BI, em 2016, com previsão de R$ 180 BI para 2017. Se a reforma não for realizada de imediata, o ministro prevê que entre 2020 e 2025, o Estado não terá mais como pagar os aposentados.

Participaram do painel os presidentes da União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (UNECS): o presidente da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), George Pinheiro; Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Nabil Sahoun; Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Paulo Solmucci; Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), Fernando Yamada; Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Honório Pinheiro Alves; Associação Nacional de Materiais de Construção (Anamaco), Cláudio Conz; e Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (ABAD), José do Egito Frota.

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311