1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / PANDEMIA

Programa Empreender envolve empresários pelo associativismo em campanha

O associativismo pode ser um espaço para diálogos produtivos, circulação de informações confiáveis e até de vínculo, encontro e união para os empresários

03 de junho de 2020 - 10:04

Em meio à pandemia da Covid-19, o programa Empreender lançou campanha para ajudar o empresário a não desistir do negócio neste momento de crise e a se preparar para a retomada, que é o próximo desafio.

Contando histórias inspiradoras e reunindo estratégias de apoio, a ideia é mostrar que o associativismo, além de ser uma ferramenta para o crescimento competitivo das empresas, representa espaço para diálogos produtivos, circulação de informações confiáveis e até de vínculo, encontro e união para os empresários.

Além de ser pauta em vários veículos, a campanha foi bem recebida no sistema CACB, atingindo o objetivo inicial de manter empresários e dirigentes de entidades bem informados e calmos diante da crise.

O presidente da CACB, George Pinheiro, afirma que o êxito alcançado pelas campanhas realizadas através do Empreender evidencia a força das associações comerciais no enfrentamento dos seus problemas: “Mesmo em meio à crise, estimulamos nossos associados a se colocarem no lugar do outro, pensando em soluções comuns para o comércio, com criatividade e inovação. Ações de valorização do emprego e dos pequenos negócios sempre foram bandeiras levantadas por nós, mas que ganham ainda mais relevância agora”.

O coordenador executivo, Carlos Rezende, reforça que o objetivo da CACB é continuar nesse processo de estímulo e fortalecimento ao associativismo: “Temos agora um campo muito grande para discutir com governos municipais, estaduais e o nacional sobre como eles podem contribuir para amenizar esses efeitos da pandemia. É aí que entra a participação do associativismo e das entidades empresariais: Uma empresa só dificilmente conseguirá resultados sozinha, porém, unida a várias outras ela terá sucesso”.

A presidente do Conselho Nacional da Mulher Empresária (CNME), Tânia Rezende, acredita que o associativismo sairá fortalecido dessa pandemia, pois é através dele que será possível sair da crise: “Os conceitos de empresas humanizadas e capitalismo consciente, por exemplo, são muito similares ao que tanto pregamos por meio do associativismo. Uma empresa vai além de seus acionistas ou o lucro que gera: é sobre o impacto positivo que causa em sua comunidade, seus colaboradores, parceiros, fornecedores e até mesmo seus concorrentes. A campanha do Empreender, assim como a própria metodologia de núcleos setoriais do programa, tem essa diretriz e é uma forma de pensar as empresas como mais humanizadas”.

O diretor e superintendente da Associação Comercial de Ananindeua, no Pará, Moises Alfaia Farias, descreve a campanha como “positiva em seu conteúdo”: Ela traz riqueza de informação e palavras de otimismo para a classe empresarial. Ao mesmo tempo que precisamos ter todo cuidado e agir com segurança para preservar nossa saúde e de nossos clientes, a campanha traz uma perspectiva promissora de que vivemos uma situação difícil, mas que existe informação e orientação”.

A presidente da Associação das Empresas de Pequeno Porte do Rio Grande do Sul (Microempa), Luiza Colombo Dutra, reconheceu a pesquisa como uma forma de mostrar o engajamento entre as entidades e seus associados: “Receber o apoio de uma entidade líder, orientando, incentivando, motivando e buscando saber como os empresários estão se sentindo e o que estão pensando em fazer acaba gerando informações e conteúdos relevantes para as tomadas de decisões nas esferas municipais, estaduais e federal”. A presidente ressalta a importância do consumo local nesse momento: “Agora, que muitos pequenos negócios correm o risco de encerrar suas atividades, faz todo sentido juntar forças em torno do que é local, de parcerias minimizando os prejuízos”.

Na visão da coordenadora de núcleos setoriais da Microempa, Liamara Stuermer: “Nos sentimos, de certa forma, protegidos pela Confederação. A campanha surgiu como um apoio, especialmente para nós, que atuamos diretamente com os núcleos setoriais e sabemos que fazemos parte de uma grande rede de pessoas, profissionais e empresários que agem local, mas com visão nacional”.

A gestora do Empreender pela Federação das Associações Comerciais do Estado de Alagoas, Cléa Carvalho, comenta: “Manter os empresários motivados tem sido um grande desafio. O emocional interfere diretamente na tomada de decisão, na mudança de atitude, na predisposição para inovar e para adotar novas estratégias a toque de caixa”. Para ela, o associativismo é o melhor caminho para minimizar os impactos da pandemia aos pequenos negócios: “Juntos, os empresários conseguem dividir custos em negociação com fornecedores, pensar medidas para os seus segmentos e contratar serviços essenciais de forma coletiva, como jurídico e de marketing, que estão sendo tão necessários no momento”.

O presidente da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), Jonny Zulauf, aponta que as associações, federações, o Sebrae e a confederação sempre trabalharam para enaltecer o trabalho do empreendedor brasileiro: “Fomos parceiros nos momentos bons e agora também, nesse momento de crise. Estamos trabalhando para que o empresário mantenha sua força, garra e determinação, porque a crise vai passar e estaremos mais fortes depois”.

 

Etapas

A campanha atual, com o mote “Não desista: isso também vai passar”, possui três etapas. Na primeira, o Empreender lançou uma consulta pública para dirigentes de ACEs e empresários, para mapear a situação das entidades e dos pequenos negócios brasileiros diante da pandemia, além de dar espaço para a formulação de estratégias para superar a crise, com a hashtag #ReinventarParaEmpreender.

A etapa seguinte abordou diversos temas de interesse do empresariado, com um enfoque comum: a empatia. A proposta é de que o empresário se coloque no lugar do outro neste momento de crise e não desista de empreender. Com a hashtag #SomosTodosEmpreendedores, foram divulgadas estratégias de apoio, como é o caso da plataforma gratuita para migração digital do Sebrae – mercadoazul.sebrae.com.br – que permite vendas online, e a iniciativa Compre do Pequeno, que promove o fortalecimento desse nicho no mercado.

A última fase é de casos de sucesso do associativismo, para que as pessoas se inspirem nas histórias de outros empreendedores. É importante lembrar que a crise vai passar e que é preciso se reinventar para a retomada, que será o novo desafio.

#NoMesmoBarco – Em março, em meio a decretos estaduais e restrição da atividade comercial, o Empreender, pensando na sobrevivência e sustentabilidade dos pequenos negócios, iniciou uma campanha com destaque para os dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) que envolvem a segurança dos empresários e dos empregados em tempos de Covid-19. A ideia foi reunir alternativas que os empresários podem adotar em meio à crise e em tempos de quarentena e isolamento.

Onde encontrar

As informações estão no site do programa www.empreender.org.br e nas redes sociais. Basta seguir @programaempreendercacb e compartilhar essas boas ideias com outros empresários também. Afinal, para quê passar por isso sozinho? O associativismo pode ajudar o empreendedor a enfrentar este momento.

Não é hora de sair!

Não desista, isso também vai passar

Cases de sucesso do associativismo

CLT para MPEs

Fonte: Empreender

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311