1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / CRISE ECONÔMICA

Inflação alta afeta o orçamento de 94% dos brasileiros, revela pesquisa da Associação Comercial de São Paulo

Levantamento feito em março aponta que, para enfrentar a crise, 64% dos consumidores afetados economizam no uso de produtos, 54% substituem marcas e 44% compram em menor quantidade

14 de abril de 2016 - 19:09
Foto: Marcos Santos/USP

Foto: Marcos Santos/USP

A alta da inflação e dos preços dos alimentos está impactando o bolso de quase a totalidade dos consumidores brasileiros. Segundo pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), a subida dos preços tem afetado muito os gastos de 58% das pessoas. Já para 30% delas, o impacto tem sido moderado. E 6% acreditam que tem havido pouco reflexo da inflação em seus orçamentos. Assim, um total de 94% dos consumidores foram afetados – em maior ou menor grau.

“É inegável que o custo de vida tem subido fortemente, o que compromete o orçamento das famílias, obrigando-as a adotar novos hábitos de consumo. E, se elas começam a gastar menos, consequentemente o varejo passa a vender menos”, comenta Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

Entre os vilões da inflação estão os alimentos, responsáveis por 0,32 p.p. da alta de 0,43% do IPCA em março. “Os alimentos consomem uma fatia grande dos gastos familiares e, portanto, não é à toa que os consumidores sentem tanto essa elevação”, diz Burti. “Quanto maior o impacto sentido, mais drásticas são as mudanças que as pessoas precisam realizar em seus hábitos de consumo”.

Ainda segundo a pesquisa da ACSP, 2% dos entrevistados disseram não ser afetados pela inflação e 3% não souberam responder. Encomendado pela ACSP para o Instituto Ipsos, o levantamento foi realizado entre os dias 13 e 30 de março em todas as regiões brasileiras.

Como enfrentar

Aos 94% dos consumidores afetados de alguma maneira pela alta da inflação e dos alimentos, foi feita a seguinte pergunta: “Como você está enfrentando esse problema”?

A economia no uso de produtos foi citada por 64% dos entrevistados. Já 54% estão trocando artigos por outros de marcas mais baratas. Além disso, 44% têm optado por comprar menor quantidade de produtos.

Já 29% disseram que mudaram alguns hábitos de consumo. Trata-se de medidas que afetam a rotina de toda a família, como: usar menos o carro, economizar energia elétrica, sair menos e ficar mais em casa, trocar o restaurante por lanchonete, tirar o filho da escola particular, abrir mão do plano de saúde, trancar a faculdade.

Os consumidores ouvidos puderam escolher mais de uma resposta.

“Do mesmo jeito que o consumidor se adapta à nova realidade, os varejistas têm de fazer o mesmo. Eles precisam ficar atentos a essas mudanças, alterando seu mix de produtos e focando no atendimento”, aconselha Burti. “É preciso monitorar constantemente o perfil do consumidor”, complementa.

Metodologia

A pesquisa foi elaborada a partir de 1,2 mil entrevistas domiciliares em 72 municípios, por amostra representativa da população brasileira de áreas urbanas (Censo 2010 e PNAD 2013), com seleção probabilística de locais de entrevista e cotas de escolha do entrevistado, ambas baseadas em dados oficiais do IBGE.

1) Pensando sobre a inflação alta e o preço dos alimentos que subiu, gostaríamos de saber o quanto você acredita que esses aumentos estão afetando o seu orçamento.

Muito (mais de 50%)                                            58%
Moderadamente (entre 20% e 50%)                 30%
Pouco (até 20%)                                                      6%
Não afetou em nada (0%)                                      2%
Não sabe                                                                    3%

2) Você disse que sentiu seu orçamento afetado. Como você está enfrentando esse problema? (múltipla escolha)

Tenho economizado o uso de produtos de maneira geral                    64%
Troquei alguns produtos por marcas mais baratas                                54%
Tenho comprado produtos em menores quantidades                           44%
Mudei alguns hábitos de consumo                                                             29%
Peguei dinheiro da poupança para ajudar com o orçamento                 2%
Deixei de pagar algum parcelamento                                                          2%
Não lembra                                                                                                       2%
Fiz um empréstimo para pagar as contas                                                   1%
Não faz nada / não toma providência alguma                                           0%
Passou a comprar no atacado                                                                        0%

Fonte: ACSP

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Neusa Galli Fróes
    Froés berlato associadas

    Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • neusa@froesberlato.com.br
    Telefones:
    (51) 3388 6847 / (51) 9123 6847

    E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311