CACB

  1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Home / Notícias / Bolsa

Ibovespa sobe com expectativa por retomada das reformas após eleições legislativas; dólar cai a R$ 5,39

Mercado registra ganhos na esteira do cenário político e com o exterior mais calmo depois de muita volatilidade

02 de fevereiro de 2021 - 10:57

Foto: Reprodução

O Ibovespa opera em em alta nesta terça-feira (2) com os investidores esperançosos de que a vitória de Arthur Lira (PP-AL) nas eleições para a presidência da Câmara dos Deputados e de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para a presidência do Senado ajude a destravar a pauta liberal do Ministério da Economia. Os dois foram apoiados pelo presidente Jair Bolsonaro.

Lira foi eleito com larga vantagem em primeiro turno, dando fôlego ao Planalto para tocar sua pauta prioritária e ainda alguma garantia diante dos cerca de 60 pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro.

Entre os indicadores, a produção industrial cresceu 0,9% em dezembro frente a novembro e fechou 2020 em queda de 4,5%, revelou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A mediana das expectativas dos economistas apontava para um avanço de 0,3% no mês.

Lá fora, as bolsas seguem com ganhos enquanto investidores monitoram os sinais de retomada da economia global.

Às 10h12 (horário de Brasília), o Ibovespa tinha alta de 1,71%, a 119.529 pontos.

Enquanto o dólar comercial cai 0,96% a R$ 5,397 na compra e a R$ 5,3975 na venda. Já o dólar futuro com vencimento em março tem perdas de 0,85%, a R$ 5,388.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 sobe um ponto-base a 3,34%, o DI para janeiro de 2023 opera estável a 4,86%, o DI para janeiro de 2025 recua um ponto-base a 6,29% e o DI para janeiro de 2025 registra variação negativa de dois pontos-base a 6,95%.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Zona do Euro caiu 6,8% em 2020, após queda de 0,7% no quarto trimestre, como resultado do impacto da segunda onda da pandemia Covid-19. Economistas consultados pela Reuters esperavam contração trimestral de 1,0% após forte recuperação entre julho e setembro, quando a zona do euro aliviou as restrições sobre viagens e lazer após a primeira onda de casos de Covid-19.

Os índices futuros americanos registram ganhos. O enfoque continua a ser nas ações de empresas de varejo, às quais investidores passaram a recorrer em massa, após investidores individuais organizados por meio da internet passarem a comprar ações que eram usadas em operações de “short selling” por fundos de hedge.

As ações da GameStop, que foram o primeiro alvo da ação coordenada, tiveram alta de 400% na semana passada. Na segunda, caíram 30% e continuaram a ter quedas após o fechamento. O preço da prata também teve alta, após ser foco de discussões nas redes sociais na semana passada.

Ainda no radar, está o pacote de estímulos do governo americano no valor de US$ 1,9 trilhão. Ontem, o presidente americano Joe Biden e senadores republicanos se reuniram para discutir o tema, em encontro que foi considerado produtivo por ambos os lados. Voltando ao radar corporativo, os números da Amazon e da Alphabet serão divulgados após o fechamento do mercado.

As bolsas asiáticas também tiveram altas na terça, acompanhando o salto nas ações americanas. Além disso, na China, uma injeção de liquidez pelo banco central aliviou as preocupações com condições apertadas, enquanto a queda nos casos de infecções por coronavírus também ajudou o sentimento.

As taxas monetárias de curto prazo da China caíram para mínimas de duas semanas, conforme começaram a diminuir os sinais de tensão de liquidez nos mercados monetários interbancários. O Banco do Povo da China injetou 78 bilhões de iuanes (US$ 12,08 bilhões) nos mercados monetários mais cedo no dia. A persistência das condições apertadas de liquidez alimentou recentemente especulações de que o banco central pode apertar a política monetária e levou a uma forte correção na semana passada.

Somando-se ao otimismo do mercado, a China informou o menor número de novos casos de Covid-19 em um mês.

Sobre o coronavírus, o governo japonês deve anunciar a extensão, até 7 de março, do estado de emergência cobrindo Tóquio e outras regiões que têm tido dificuldades em conter surtos do vírus.

Fonte: InfoMoney

Tags

Deixe seu comentário

Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis

  • Erick Arruda
    erick.arruda@cacb.org.br
  • E-mail geral da imprensa: imprensa@cacb.org.br
    Contato: (61) 3321 1311