Imprensa

FMI: Brasil precisa mostrar que está comprometido com ajuste fiscal

Para fundo, país precisa fazer ajuste mais forte que outras nações

8 de setembro de 2016 às 17:02

Logo do FMI na sede da entidade, em Washington (EUA) - Andrew Harrer / Bloomberg

Logo do FMI na sede da entidade, em Washington (EUA) – Andrew Harrer / Bloomberg

WASHINGTON – Alejandro Werner, diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI) para o Hemisfério Ocidental, afirmou na manhã desta quinta-feira, em Washington, que o Brasil precisa mostrar que está comprometido com o ajuste fiscal. Discursando no 20ª conferência anual do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), ele afirmou que a situação fiscal de toda a região é pior que a esperada.

— Todas as economias da América Latina estão em situação fiscal mais fraca do que se esperava —disse ele, completando: — Há algumas economias que precisam de um programa gradual de ajuste, e há aquelas que precisam de um ajuste mais forte, como o Brasil.

Werner afirmou ainda que o Brasil precisa enviar sinais de que está comprometido com o ajuste e que precisa, inclusive, ter um comprometimento forte. Este comprometimento, disse, precisa ser institucional e político. Para ele, os problemas fiscais são, em parte, consequências da mudança do cenário global, que acabou com o ciclo de altos preços das commodities.

Augusto de La Torre, economista-chefe do Banco Mundial para a América Latina, afirmou, contudo, que este fim de ciclo está fazendo os países da região passarem por ajustes, mas não tão severos como seria no passado. Ele lembra que a região está desacelerando seu crescimento de forma consecutiva há cinco anos, sendo que já são dois anos em recessão.

— Os brasileiros gostariam de não fazer o ajuste, até porque têm uma situação política mal resolvida, mas, por outro lado, eles têm a menor margem de manobra fiscal da região — disse o economista.

O economista criticou a forte indexação da economia brasileira e dos problemas entre o governo federal e os estados, sobre dívidas e financiamento. De La Torre lembrou ainda que o Brasil sofre por ter taxas de juros muito altas por muito tempo.

— O Brasil tem uma questão historicamente complicada, por estar preso em seu sistema financeiro, seu sistema econômico está preso com uma taxa de juros elevada — disse ele

De La Torre afirmou ainda que parece haver um grupo de economistas que pensa que se o Brasil chegar a um acordo político para resolver o ajuste fiscal, isso pode gerar espaço para um golpe de credibilidade e que possa levar a uma queda de juros.

— O consenso dos observadores no Brasil é otimista. Há uma reconstrução do otimismo porque a maioria dos observadores pensa que o Brasil já tocou no fundo e que a economia está contraindo num ritmo menor e que no próximo ano o crescimento se regenerará e teremos um crescimento positivo. Parte disso tem influência do golpe de otimismo que veio com os Jogos Olímpicos e se o Brasil for bem no futebol pode ser que haja mais otimismo — disse.

Fonte: O Globo

Últimas Notícias

Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede
Poder da Rede 16 de julho de 2024 às 15:21

Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede

Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior
Entrevista 16 de julho de 2024 às 12:32

Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior

Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto
Economia 16 de julho de 2024 às 12:26

Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto

Dólar sobe após atentado a Donald Trump Dólar sobe após atentado a Donald Trump
Economia 15 de julho de 2024 às 16:53

Dólar sobe após atentado a Donald Trump

Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou
Política 12 de julho de 2024 às 16:31

Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou

Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária
Economia 12 de julho de 2024 às 14:33

Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária

Serviços

Ver todos

Soluções dedicadas ao empresário brasileiro

Conheça nossos serviços para a sua empresa.

Conhecimento e informação nos conecta

Compartilhamos conteúdo do seu interesse

  •  

Eventos

Ver todos

Agenda dos Eventos Empresarias

Participe dos eventos organizados por entidades que apoiam os empresários do Brasil.

Busca

Fechar

Categorias de Serviços

Fechar

Categorias de Vídeos

Fechar

Entidades

Fechar
Logomarca Hotpixel