CACB

  1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27

Empreender

Portal Empreender
Empreender
Home / Empreender /

União Europeia investe no crescimento sustentável de empresas na América Latina

O programa AL-Invest Verde é a nova aposta da União Europeia

12 de julho de 2021 - 16:32

Após o encerramento da quinta edição do programa AL-Invest, com mais de 49 mil empresas atendidas na América Latina, a União Europeia lança o AL-Invest Verde. A iniciativa aposta no crescimento sustentável e na criação de empregos, apoiando as micro e pequenas empresas latino-americanas na transição para uma economia circular, eficiente em termos de recursos e com baixa emissão de carbono.

A Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), que foi a entidade escolhida para executar o AL-Invest 5.0 no Brasil, também participa desta chamada de propostas para o novo consórcio, que tem como objetivo incentivar as MPEs na América Latina a adotarem produtos, processos e serviços menos poluentes e mais eficientes em termos de recursos, enquanto padrões de consumo mais sustentáveis ​​são adotados em todo o mundo.

A nova edição do AL-Invest, bem como as ações desenvolvidas no âmbito do Sistema CACB, vai ao encontro da agenda da Organização das Nações Unidas (ONU) e dos 193 países, incluindo o Brasil, que se comprometeram com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Para dar destaque aos esforços de diversas instituições na promoção da Agenda 2030, que compreende 169 metas a serem atingidas até 2030, o programa Empreender lança uma série de reportagens para mapear as ações desenvolvidas no Brasil no rumo da economia “verde”. O conteúdo é direcionado para identificar exemplos sustentáveis brasileiros nos âmbitos local e nacional, na iniciativa pública e privada, que se relacionem às diretrizes do AL-Invest Verde e aos ODS da ONU.

 

AL-Invest 5.0

A CACB foi a entidade responsável pela execução do AL-Invest 5.0 no Brasil. A União Europeia investiu quase 3 milhões de euros (2.986.979,86 €) no país, em atividades de fortalecimento empresarial e promoção do associativismo, como capacitações, networkings, internacionalização de negócios e visitas técnicas.

Ao total, 17.836 micro e pequenas empresas foram beneficiadas, sendo, 9.598 delas integrantes do sistema de Associações Comerciais. Graças ao programa, 1.280 empresas diversificaram seus mercados, 850 receberam alguma certificação ou reconhecimento, 714 novos núcleos foram formados, 34 serviços foram ajustados, 23 novos serviços foram criados.

O AL-Invest 5.0 promoveu o empoderamento de 3.725 brasileiras, o aumento da produtividade de 2.256 empresas e processos de inovação para 3649 MPEs. A capacidade institucional de 22 organizações empresariais cresceu, foram desenvolvidas 9 alianças público-privadas para melhoria do mercado e 8 alianças para promoção das MPEs.

Na América Latina, o AL-Invest 5.0 possibilitou o atendimento a mais de 49 mil micro, pequenas e médias empresas em todo o continente. Entre 2016 e 2019, foram investidos 31.250.000 euros no desenvolvimento de 66 projetos em 18 países latino-americanos.

Sinergia

A CACB se empenhou em promover a sinergia entre o AL-Invest 5.0 e seu maior projeto de apoio a micro e pequenas empresas: o programa Empreender. A CACB atendeu aproximadamente 100 mil empresas em mais de 20 anos, com ações de desenvolvimento empresarial focadas na melhoria de processos, redução de desperdício, entre outras boas práticas para o meio ambiente e para os negócios.

A metodologia do Empreender, que reúne empresários de um mesmo segmento nos chamados núcleos setoriais das Associações Comerciais (ACEs), se tornou referência de desenvolvimento empresarial para a União Europeia. Ao longo da execução do AL-Invest 5.0, representantes de diversos países do continente europeu visitaram o Brasil para conhecer os casos de sucesso formados nas ACEs.

Segundo o coordenador executivo, Carlos Rezende, a CACB utilizou as atividades do Empreender para alavancar as ações do AL-Invest, identificando pontos de convergência para promover a sinergia entre os dois programas: “Os núcleos setoriais do Empreender, por exemplo, aproximaram as demandas dos empresários das ferramentas de crescimento empresarial oferecidas pelo AL-Invest. Nesse período, tivemos diversos exemplos de boas práticas da união entre as atividades do AL-Invest e a base sólida de associativismo construída ao longo de mais de 20 anos do programa Empreender no Brasil”.

Rezende falando sobre a visibilidade da metodologia do Empreender durante a Rodada de Casos de Êxito do Empreender, no 19º Congresso da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), em 2019

Boas práticas

As ações da Associação Comercial e Industrial de Uberlândia (Aciub), de Minas Gerais, no âmbito do AL-Invest 5.0 são exemplos de como o Sistema de Associações Comerciais tem interesse em investir em ações de crescimento sustentável.

Em 2018, a entidade buscou o apoio do AL-Invest para fortalecer suas competências técnicas e, assim, implementar boas práticas em gestão ambiental. A partir de uma missão empresarial ao estado da Baviera, na Alemanha, o superintendente da Aciub, Marcio Bocchio, teve a oportunidade de conhecer as tecnologias para a geração de energia a partir de fontes renováveis.

Aciub em missão empresarial na Baviera (Alemanha), em 2018

Dentro da associação, o resultado foi a implantação de painéis de energia fotovoltaica. Antes da instalação das placas, a Aciub dispendia de cerca de R$ 9.500 com energia elétrica por mês. Após a mudança, a mensalidade diminuiu para R$ 466,00.

Bocchio defende que parte do fortalecimento institucional da Aciub nos últimos anos está associado a União Europeia: “Após a execução do AL-Invest, ficou claro o tamanho do impacto desse projeto não apenas para nossos associados, mas também para a entidade. A União Europeia virou uma grife para os nossos produtos. Com esse selo, levamos nossos cursos e serviços para a ponta com uma credibilidade altíssima. Além disso, essa experiência nos motivou a buscar novas parcerias”.

Após a missão, a Aciub também passou a oferecer para os associados o serviço Aciub Energias Renováveis, que ajuda as empresas a implementar um projeto de geração de energia personalizado. Segundo a gestora de projetos, Janayne Nunes, a diminuição do consumo de energia elétrica é crucial para a melhoria da rentabilidade das empresas, e essa é a proposta do serviço: “É nosso papel enquanto instituição que defende os interesses da classe empresarial sensibilizar as empresas associadas para investir na sustentabilidade ambiental e ainda economizar dinheiro”. Ela explica que a Aciub buscou parcerias com vantagens exclusivas para que a empresa atendida pudesse escolher o projeto de geração de energia que fosse mais adequado à sua demanda: “Ajudamos nossos associados a entender quais são os formatos disponíveis do serviço, quais os critérios de contratação e quais serão as vantagens ambientais e financeiras obtidas”.

Em 2019, a Aciub participou ativamente do Dia Mundial da Limpeza, que mobilizou 1,5 mil pessoas em Uberlândia para a coleta de lixo na região do Rio Uberabinha. A ação foi resultado de uma mobilização de toda a sociedade, com participação de mais de 40 empresas e entidades da iniciativa pública e privada, incluindo a Aciub. Ao total, os colaboradores recolheram 30 toneladas de lixo comum. Cerca de 100 veículos, entre caminhões, maquinários, ônibus e carros comuns, foram utilizados nos serviços do Dia Mundial da Limpeza, contribuindo para a coleta de 12 pneus, 1,5 toneladas de resíduos recicláveis, 11,8 toneladas de massa verde e 350 toneladas de entulhos e resíduos da construção.

Veja imagens do Dia Mundial da Limpeza em Uberlândia:

Aciub no Dia Mundial da Limpeza, em 2019

Tags

Deixe seu comentário

Assessoria de Comunicação do Empreender/AL-Invest 5.0

  • Katiuscia Sotomayor
    katiuscia.sotomayor@cacb.org.br

    Joana de Albuquerque Pae
    joana.albuquerque@cacb.org.br

  • Bernardo Fonseca
    bernardo.fonseca@cacb.org.br
O Empreender é um programa da CACB, em parceria com o SEBRAE, que visa o fortalecimento da micro e pequena empresa ao reunir empresários de um mesmo município nos chamados núcleos setoriais. Neles, os empresários discutem seus problemas e buscam soluções conjuntas com apoio de um profissional vinculado à entidade empresarial.