1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Login
Redes Sociais
Portal Empreender
Empreender
Home / Empreender /

#Elasporelas: Empresárias apostam na sororidade para compartilhar o sucesso

Conselho Nacional da Mulher Empresária (CNME) representa 4.500 mulheres ligadas ao sistema da Confederação de Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) em busca de reconhecimento nos mercados nacional e internacional

17 de fevereiro de 2020 - 13:00

Nos dias 17 e 18 de fevereiro, o Conselho Nacional da Mulher Empresária – CNME, ligado ao sistema da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), reunirá as 19 líderes participantes, de nove estados, para a primeira reunião da Diretoria Executiva e Técnica de 2020.

Esta nova fase da gestão da empresária Tania Rezende vai apresentar uma proposta de atualização do Regimento Interno do CNME para a diretoria e, conforme aprovado no projeto Empreender Competitivo 2017/CNME,  será realizada a primeira parte da Oficina de Design Thinking para construção do planejamento estratégico da diretoria para próximo biênio.

O Empreender Competitivo é um projeto da CACB em parceria com o Sebrae para fortalecimento de micro e pequenas empresas por meio de ações conjuntas com outras empresas, acesso a recursos para  desenvolvimento de capacitações, pesquisas, consultorias e a facilidade de acesso às entidades de apoio às MPEs. O programa é direcionado para núcleos setoriais, que são grupos de empresas de um mesmo setor no mercado, com pelo menos 18 meses de atuação. A ideia é impulsionar os grupos que já estão em fase de autossustentabilidade, com apoio para desenvolver ações que melhorem a sua competitividade. Dentre essas ações estão consultoria para a melhoria dos processos, capacitação dos presidentes e funcionários, participação de visitas técnicas, certificações, missões, marketing, estudo de mercado, entre outras.

Já o Design Thinking tem o objetivo de encontrar formas inovadoras de planejar e gerir um negócio. Na prática, é um processo que envolve a busca por soluções criativas de acordo com a necessidade do cliente.

”Minha expectativa com essa ação da oficina é que, através da realização dela com nossas lideranças estaduais, consigamos potencializar as ações em rede, criando possibilidades de composição de produtos que gerem receita aos conselhos estaduais e ao CNME, colaborando, assim, para a sustentabilidade dos conselhos. Também visamos a aumentar a abrangência de atuação dos gerar impactos positivos, que colaborem para melhoria dos negócios de mulheres empresárias no país”, afirma a presidente.

Para a gestora do CNME e diretora financeira e de projetos e sustentabilidade do CMEDF, que também é analista de Projetos do Programa Empreender, Patrícia Rêgo, a oficina é um exemplo das atividades que as empresas participantes do Empreender Competitivo podem ter a chance de realizar: “A proposta do programa é identificar e ajudar empresários a ter acesso a oportunidades de crescimento. A capacitação é essencial para alavancar o desenvolvimento de qualquer negócio. No caso das mulheres empresárias, nosso objetivo atual é investir no fortalecimento do Conselho, para garantir que as mulheres que fazem parte do sistema associativista recebam apoio necessário para ter sucesso na luta diária do empreendedorismo”. Ela ainda destaca que o planejamento estratégico a ser definido no evento trará mais engajamento das lideranças estaduais e melhorará o posicionamento estratégico do CNME em todo o sistema CACB:  “Esta ação só se tornou possível por conta de um aditamento de mais seis meses e um incremento financeiro de 20% no valor total do Projeto do Empreender Competitivo 2017/CNME”.

Capitalismo consciente: o novo sistema

Negócios sustentáveis e inovadores. Essa é a meta do novo capitalismo, o consciente. A ideia é fazer aqui no Brasil, no interior no país e em qualquer lugar, aquilo que empresas como a poderosa Google já aplicam todos os dias em seus negócios:  incorporar na gestão aspectos construtivos e promissores do capitalismo, atuando de maneira a criar valor não só para si mesmas, mas também para seus clientes, funcionários, fornecedores, investidores, a comunidade e o meio ambiente. É, acima de tudo, uma redefinição do que é o lucro…

A palestra sobre o capitalismo consciente, com a Embaixadora do Capitalismo Consciente Brasil, Francine Pena Póvoa, será o grande destaque do evento: “Espero que nossas líderes do CNME se tornem propagadoras do capitalismo consciente no Brasil. Como mulher e líder, me preocupo em compartilhar os pilares desse novo modelo da gestão com valores mais femininos, um ponto chave da liderança voltada para o capitalismo consciente. A mulher é cooperativa, criativa e empática. É preciso reduzir a forma de agir e pensar predominantemente masculina. Fomos ensinados a valorizar características apenas masculinas, mais individualistas e hierárquicas. Por isso, pra dar certo, ambos os gêneros precisam entender que manifestar sensibilidade não é sinal de fraqueza e sim um caminho necessário se quisermos que nossas empresas tenham “cauda longa” e uma vida perene”, garante Tania.

Segundo a representante nacional das mulheres empresárias, Tania Rezende, “o capitalismo consciente mostra, através de pesquisas recentes, que empresas que adotaram práticas mais humanizadas, com gestão voltada não somente para o lucro, mas principalmente para as relações humanas e reconhecimento de todos seus stakeholders, assim como  preocupação com impactos que a empresa causa na comunidade que está inserida, aumentaram seus resultados /lucros, quando avaliadas ao longo de 10 anos se comparadas a empresas que não adotaram tais práticas”, conclui.

Quem é a mulher empresária

De acordo com estudo do Instituto Rede Mulher Empreendedora de 2019, que reuniu mais de 2500 entrevistas em todo o Brasil, cerca de 70% das empresárias tem graduação ou pós; o negócio que elas tocam é a principal renda familiar para 38% das entrevistadas. Além disso, mais de 60% delas começou há menos de 3 anos. Elas também têm menos tempo para investir na empresa, pois se dedicam aos filhos e à casa. A maioria começou a empreender depois dos 30 anos e metade dos negócios têm faturamento mensal de até 2.500 reais – esse é o perfil da mulher empresária brasileira.

 

Programação

REUNIÃO DIRETORIA EXECUTIVA E TÉCNICA – CNME

Gestão 2019-2021

DIA 17/02/2020 (segunda-feira)

PROGRAMAÇÃO:

10h – ABERTURA

  • Palavra da anfitriã, Sra. Yêda Fernal, Presidente da FEDERAMINAS MULHER
  • Palavra da Sra. Tania Rezende, Presidente do CNME
  • Apresentação da proposta de alteração do Regimento Interno do CNME.

o Principais pontos:

  • Apresentação da parcial da pesquisa.
  • Encontro Nacional da Mulher Empresária – 2020.
  • Palestra: Nova Era, Novas Regras, Novo Capitalismo com Francine Pena Póvoa – Embaixadora

do Capitalismo Consciente no Brasil

12:30 h – BRUNCH DE BOAS VINDAS

13h – Início da Oficina de Design Thinking

  • Apresentação e boas vindas – Tania Resende, Presidente do CNME

17h – Coffee Break

20h – Encerramento do dia

DIA 18/02/2020 (terça-feira)

8h – Oficina de Design Thinking

10h – Coffee Break

12h – Encerramento das atividades

Tags

Deixe seu comentário

Assessoria de Comunicação do Empreender/AL-Invest 5.0

  • Katiuscia Sotomayor
    katiuscia.sotomayor@cacb.org.br

    Joana de Albuquerque Pae
    joana.albuquerque@cacb.org.br

  • Bernardo Fonseca
    bernardo.fonseca@cacb.org.br
O Empreender é um programa da CACB, em parceria com o SEBRAE, que visa o fortalecimento da micro e pequena empresa ao reunir empresários de um mesmo município nos chamados núcleos setoriais. Neles, os empresários discutem seus problemas e buscam soluções conjuntas com apoio de um profissional vinculado à entidade empresarial.