1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Login
Redes Sociais
Portal Empreender
Empreender
Home / Empreender /

Consulta pública do Empreender terá dados consolidados em oficina

A coleta de informações para o novo projeto de apoio ao Empreender se iniciou com a consulta pública e terá continuidade em uma oficina

23 de julho de 2020 - 10:51

A Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) e o Sebrae lançaram, no início de 2020, uma Consulta Pública do Programa Empreender, com o objetivo de ampliar a discussão sobre o futuro do programa por meio da coleta de opiniões dos atores do projeto. Os pontos de discussão incluíam, entre outros, a seleção e o recrutamento de consultores, o uso da metodologia e os processos de capacitação.

A consulta envolveu cerca de 400 participantes de mais de 18 estados, a maioria deles empresários. Para o coordenador executivo da CACB, Carlos Rezende, parte da riqueza de informações obtidas está nos comentários feitos em complemento às respostas objetivas: “A colaboração dos respondentes, que dedicaram seu precioso tempo nesse processo, se traduzirá em um projeto mais próximo das expectativas de quem está na ponta”.

Após o levantamento dos dados por meio da Consulta, a CACB pretende consolidar a discussão com uma oficina, que reunirá os principais atores do projeto, entre eles empresários, presidentes de ACEs e Federações, consultores e coordenadores, além de representantes do Sebrae.

O encontro será, portanto, a segunda parte do processo de formulação do novo projeto de apoio ao Empreender. A data é 28/7, às 16h, via Zoom.

 

A visão da ponta

Entre os pontos levantados nas respostas, destacou-se a importância das ações que  criam vínculos entre os empresários de um núcleo, com foco na empatia e na confiança. Diante da colocação: “A criação dos núcleos setoriais deve inicialmente priorizar as ações de maior impacto e de fácil execução. O planejamento deve ser realizado após constatado um ambiente mais favorável entre os empresários, que demonstre maior união entre eles, e após a execução das ações prioritárias.”, um participante afirma que concorda parcialmente e complementa: “Sim, focado nas ações de maior impacto, porém nos núcleos geralmente a priorização e definição de ações e datas é feita democraticamente pela maioria dos empreendedores participantes, e muitas ações definidas pelo grupo não têm muito impacto no segmento, mas cria harmonia entre o grupo (pequenas ações no intervalo de outra mais concreta e de impacto). Não deve engessar o núcleo, cada um núcleo tem sua particularidade“.

Outro participante afirmou que concordava parcialmente com a afirmação: “As associações comerciais interessadas em implementar o Empreender devem apresentar um plano com os núcleos setoriais a serem criados ou apoiados. A criação de núcleos deve ser feita a partir de uma matriz que considera a organização das empresas, a representatividade, a capacidade de se desenvolverem, a sustentabilidade, entre outros pontos”, destacando: “A matriz é um instrumento para que se tenha critérios racionais na escolha e priorização segmentos, mas não deve ser a única e ser utilizada e de forma rígida, ela é mais um instrumento.  Vejo que outros aspectos devem ser considerados como, demanda de associados, vocação da cidade, plano estratégico da cidade (se houver).  Mesmo assim, tudo vai por água abaixo se não tiver um processo de investigação, experimentação/aprendizado e modelagem (personalizada) na hora de planejar o lançamento de um núcleo“, o que mostra a importância de se levar em conta a singularidade de cada área de atuação e de cada grupo envolvido no projeto.

 

A renovação do Empreender

Há cerca de cinco anos, na retomada do Empreender no Brasil, que ocorreu em estados da região centro-oeste, nordeste e sudeste, foram implementadas melhorias bem-sucedidas, como, por exemplo, o condicionamento de repasse de recursos associado ao alcance das metas.

Rezende observa que a atuação em âmbito nacional do Empreender já levantou questionamentos acerca da eficácia de uma entidade da capital atender a localidades a mais de 3 mil quilômetros de distância. Segundo o coordenador, o esforço do Empreender para estar em constante contato com a realidade local de cada município, além do uso dos instrumentos corretos, é o que garante aos executores “um acervo importante para contribuir na melhoria da condução e resultados dos projetos”. A implementação de mudanças planejadas e bem traçadas é o que mantém o programa em constante evolução e sempre atento às necessidades de quem está na ponta: o empresário.

 

O novo projeto

Nomeado Empreender 2020, o novo projeto de apoio tem como tema transversal a produtividade. Nas empresas brasileiras de um modo geral, nos últimos anos, a produtividade vem caindo em vários setores da economia. Segundo a Fecomercio-SP, o trabalhador brasileiro leva uma hora para fazer o mesmo produto ou serviço que um norte-americano consegue realizar em 15 minutos e um alemão ou coreano em 20 minutos.

Além de tratar o problema por meio das causas macroeconômicas, como educação, infraestrutura, tributação, entre outras, mudanças são necessárias, também, dentro das empresas. O aumento da produtividade é o caminho para produzir mais e melhor, de forma mais sustentável, isto é, usando os mesmos ou menos recursos.

Rezende explica como o Empreender, pela sua atuação junto a micro e pequenas empresas, pode contribuir para a resolução do problema: “Nos 20 anos de execução do Empreender, de norte a sul do Brasil e na América Latina, empresas nucleadas melhoraram sua produtividade com capacitações, consultorias para criação e melhoria de processos, alterações no layout dos produtos, implementação e avaliação de controles, introdução de melhorias nos equipamentos e instalações, entre outros. No Empreender 2020, a produtividade dentro de MPEs não apenas fará parte das ações previstas em projeto, mas também será a pauta prioritária nos debates sobre a formação de uma nova cultura empresarial”.

Tags

Deixe seu comentário

Assessoria de Comunicação do Empreender/AL-Invest 5.0

  • Katiuscia Sotomayor
    katiuscia.sotomayor@cacb.org.br

    Joana de Albuquerque Pae
    joana.albuquerque@cacb.org.br

  • Bernardo Fonseca
    bernardo.fonseca@cacb.org.br
O Empreender é um programa da CACB, em parceria com o SEBRAE, que visa o fortalecimento da micro e pequena empresa ao reunir empresários de um mesmo município nos chamados núcleos setoriais. Neles, os empresários discutem seus problemas e buscam soluções conjuntas com apoio de um profissional vinculado à entidade empresarial.