1. Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil

  2. 27
Login
Redes Sociais
Portal Empreender
Empreender
Home / Empreender /

Conheça os casos de sucesso do AL-Invest 5.0

Empresários se reunirão em Brasília, nos dias 10 e 11 de outubro, para compartilhar resultados e experiências

07 de outubro de 2019 - 11:54

O AL-Invest é um dos programas de cooperação econômica mais bem-sucedidos da União Europeia na América Latina, cujo objetivo é apoiar o desenvolvimento empresarial na região, reduzindo a pobreza por meio do aprimoramento da produtividade das micro e pequenas empresas, promovendo o seu desenvolvimento sustentável.

Na reta final do programa, em outubro de 2019, a Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) receberá membros da União Europeia, da Câmara de Indústria, Comércio, Serviços e Turismo de Santa Cruz (Cainco) e das entidades brasileiras executoras de projetos Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Confederação Nacional da Indústria (CNI), Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa do Pará (Sebrae/PA). O objetivo do encontro é realizar uma avaliação do programa no Brasil, nos dias 10 e 11 de outubro, em Brasília.

A programação do dia 11 inclui apresentações de seis empresários que foram beneficiados pelo AL-Invest 5.0. Conheça os casos de sucesso que serão apresentados no evento:

 

CACB

Entre os casos de sucesso da CACB, estão dois projetos desenvolvidos em Alagoas, pela Associação Comercial e Empresarial de São Miguel dos Campos (Acem). O empresário e técnico agrícola Josias Ferreira, da Indústria Calmar, especializada na extração de cálcio orgânico a partir da casca do sururu, pôde dar andamento a pesquisas e estudos sobre o produto e iniciar o processo de testes para comercialização, enviando para análise em laboratórios. Além disso, firmou parcerias com o núcleo setorial de agricultura do município de Messias e com uma universidade local para implementar melhorias em seu produto.

O outro caso de sucesso é o do produtor de orgânicos José Cícero, de Messias (Alagoas), que, com o apoio do AL-Invest 5.0, conseguiu ampliar a produção de abacaxi e usá-la como fonte de renda extra, aumentando a produção de 5 mil pés da fruta para 10 mil unidades. “O projeto possibilita ao empresário viver da sua terra, ter suporte para se manter, trabalhando a agroecologia, respeitando a natureza, o solo, as nascentes”, afirma o agricultor.

Na quinta edição do AL-Invest, o Brasil participa do consórcio executor por meio da CACB. A organização tem como dever coordenar e repassar os recursos para os projetos desenvolvidos pelas Federações e Associações Comerciais de todo o país, além de realizar o monitoramento dos projetos desenvolvidos pelas demais entidades brasileiras Assintecal, CNI, Facisc e Sebrae Pará.

 

Assintecal

O empresário Mateus de Melo, diretor da Formello Formas, obteve apoio do AL-Invest e da Assintecal com o processo de internacionalização. De 2018 para cá, a taxa de exportação da empresa, voltada para o segmento calçadista, cresceu em 20%. “O projeto nos mostra vários panoramas do mercado, por exemplo, onde seria importante investir e onde não é prioridade, ou como está o mercado externo e o interno”, afirma o diretor.

 

CNI

O projeto Rota Global, desenvolvido no âmbito do AL-Invest 5.0 pela CNI, atende MPEs interessadas em aumentar sua competitividade e atuar no mercado internacional. Para a empresária Chris Gontijo, do ramo de moda íntima e moda feminina de luxo, a participação no projeto foi o primeiro contato que sua empresa obteve com o processo de exportação. A partir do plano de ação desenvolvido, a empreendedora já exportou para a Dinamarca, e atualmente está em prospecção com outros mercados como Estados Unidos e América Latina.

 

Facisc

A empresária nucleada à Facisc, Rejane Silva Sánchez, é proprietária de uma empresa prestadora de serviços no âmbito da advocacia. Com o ingresso no associativismo, ela teve acesso aos benefícios do trabalho em rede, principalmente para mulheres empreendedoras. Os resultados mais expressivos obtidos com o programa AL-Invest foram o aumento de sua rede de relacionamento e o crescimento de 35% em seu negócio.

Há 4 meses, a empresária foi convidada por um dos maiores veículos de comunicação de Santa Catariana, a NSCTV, para apresentar mensalmente, em horário nobre, um programa estadual sobre direitos: “Essa participação tem contribuído para que eu alcance a minha visão de negócio, que é ser referência em negócio jurídico no mercado catarinense”.

 

Sebrae Pará

O ostreicultor Miguel Edson Silva Reis, de Augusto Corrêa (Pará), um dos cinco municípios envolvidos no projeto, aumentou sua produção e comercialização de ostras, em 2018, com o apoio das atividades do AL-Invest 5.0. O faturamento foi de R$7.785, em 2017, para R$ 27.747, em 2018.

Outro resultado do programa foi a valorização da atividade com inserção da aquicultura nas Estratégias para o Desenvolvimento Sustentável – Pará 2030, do governo do estado, e o aperfeiçoamento das técnicas de cultivo.

O projeto do Sebrae Pará foi o vencedor do concurso “Transformando Vidas”, na categoria “Melhoria da Produtividade e Inovação nas MPEs”, realizado na Guatemala em junho de 2018, pelo AL-Invest 5.0.

 

Sobre o AL-Invest 5.0

O AL-Invest 5.0 tem como objetivo fomentar a capacitação de empresários que buscam trazer inovação e qualificação para suas empresas. Para isso, os empresários são envolvidos em feiras e exposições nacionais e internacionais, na organização de eventos, na formação de novos núcleos de empresários, em consultorias, capacitações e oficinas em diversas áreas, como inovação, responsabilidade social empresarial, gestão ambiental, entre outras.

Ao total, foram mais de 31 milhões de euros investidos no crescimento de 34 mil MPEs. O programa, que superou a meta de 27 mil empresas, estipulada inicialmente, envolveu o empenho de 110 organizações empresariais espalhadas pela América Latina, que realizaram a execução e o monitoramento dos projetos localmente.

Só no Brasil, foram investidos aproximadamente 3 milhões de euros. Ao total, 9.378 empresas brasileiras foram beneficiadas. Como resultado, por exemplo, 1.221 empresas relataram ter aumentado sua produtividade e 3.186 afirmaram ter incorporado inovação a seus processos.

De acordo com o vice-presidente da Micro e Pequena Empresa da CACB, Luiz Carlos Furtado Neves, “como membro do consórcio executor do AL-Invest 5.0, a CACB tem muito orgulho das ações realizadas no país. A metodologia do nosso programa Empreender, promovido em parceria com o Sebrae há mais de 20 anos, tem servido de apoio para fortalecer as ações em diversas cidades – isso revela o papel multiplicador do nosso sistema e garante o sucesso dessa que é a mais importante cooperação internacional financiada pela União Europeia para o setor empresarial da América Latina”.

O coordenador executivo da CACB, Carlos Rezende, afirma que “o AL-Invest 5.0 trouxe excelentes resultados para os empresários de micro e pequenos negócios no Brasil. Para valorizar os bons exemplos que existem sob nosso monitoramento, o encontro contará com a apresentação dos resultados de alguns participantes sobre como o projeto contribuiu na melhoria dos negócios e, é claro, a nossa economia”.

 

Serviço

Encontro do AL-Invest no Brasil

Data/Hora: dia 10/10, das 14h às 18:30 e dia 11/10, das 9h às 17:30

Local: Hotel Windsor Brasília, SHN Q. 1, Asa Norte, Brasília – DF, 70702-900

 

Imprensa

Katiuscia Sotomayor- Coordenadora de Comunicação | (61) 99276-4477 | Katiuscia.sotomayor@cacb.org.br

Joana de Albuquerque- Assistente de Comunicação |(61) 99616-8062 | Joana.albuquerque@cacb.org.br

Tags

Deixe seu comentário

Assessoria de Comunicação do Empreender/AL-Invest 5.0

  • Katiuscia Sotomayor
    katiuscia.sotomayor@cacb.org.br

    Joana de Albuquerque Pae
    joana.albuquerque@cacb.org.br

  • Bernardo Fonseca
    bernardo.fonseca@cacb.org.br
O Empreender é um programa da CACB, em parceria com o SEBRAE, que visa o fortalecimento da micro e pequena empresa ao reunir empresários de um mesmo município nos chamados núcleos setoriais. Neles, os empresários discutem seus problemas e buscam soluções conjuntas com apoio de um profissional vinculado à entidade empresarial.