Imprensa
Inflação

Banco Central diz que sua missão em 2016 é uma só, segurar a inflação

23 de dezembro de 2015 às 13:17

Dois dias após a presidente Dilma Rousseff pedir à sua nova equipe econômica para fazer o “que for preciso” para retomar o crescimento econômico, o Banco Central afirmou só ter um mandato, que é assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda.

Ao apresentar as novas projeções para PIB e inflação em 2015 e 2016, o diretor de Política Econômica do BC, Altamir Lopes, afirmou nesta quarta-feira (23) que as taxas de juros vão subir quando e se o Copom (Comitê de Política Monetária) julgar necessário, mesmo em um ambiente de atividade fraca.

Disse ainda que a estratégia da instituição é restringir a inflação de 2016 ao limite de 6,5% e colocar o IPCA em 4,5% em 2017.

Questionado sobre pressões políticas para baixar juros, diante da queda na atividade e do aumento do desemprego, Altamir afirmou que a inflação é tão ruim ou pior que esses problemas.

“Se você conseguir fazer um ajuste e trazer a inflação para a meta, os ganhos para a sociedade são muito maiores”, afirmou.

“O nosso mandato em relação à inflação é um só. É trazer a inflação para a meta. Temos determinação, compromisso, autonomia e instrumentos para agir. E vamos agir se necessário”, disse o diretor.

Para o BC, apesar do aumento do desemprego, os reajuste salariais ainda representam uma ameaça à inflação.

DESEMPREGO

Altamir disse ainda que a inflação e outros fatores que causam incertezas, de natureza política e fiscal, atrapalham o processo de recuperação da economia.

“O empresário está louco para investir. O que a gente precisa é só recompor a confiança, tanto de consumidores quanto de empresas, para esse processo andar.”

Sobre a possibilidade de moderar o ajuste fiscal e monetário para favorecer o crescimento, Altamir disse que o processo poderia ser “um pouco menos dolorido”, mas implicaria em um período mais longo de sofrimento.

PROJEÇÕES

O diretor também foi questionado se as projeções do BC para inflação e PIB eram “realistas e factíveis” como pediu a presidente Dilma na segunda-feira (21) ao orientar a equipe econômica sobre a divulgação de metas.

De acordo com cálculos apresentados no Relatório Trimestral de Inflação divulgado nesta quarta-feira pelo BC, a inflação no próximo ano deve bater em 6,2% frente um teto fixado em 6,5%. E a probabilidade dos indicadores de preços ultrapassarem esse limite é de 41%.

No mercado, a projeção já é de estouro desse limite pelo segundo ano consecutivo. Pelas contas do BC, o país fechará 2015 com uma inflação de 10,8%, a mais alta desde 2002.

A principal divergência, no entanto, se deu em relação à projeção do BC de queda do PIB de 1,9% em 2016, resultado bem inferior aos 2,8% esperados pelo mercado.

 

Altamir falou que as metas do BC são realistas e que a instituição não adota para si projeções de mercado.

Sobre a diferença em relação ao PIB, afirmou que uma queda dessa magnitude é significativa diante da retração de 3,6% esperada para 2015 e que não há muito espaço para cair mais.

Disse também que alguns fatores devem amenizar a retração do próximo ano, como o reajuste real do salário mínimo, com efeitos sobre benefícios sociais, e a queda da inflação.

Fonte: Folha de S.Paulo

Últimas Notícias

Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede
Poder da Rede 16 de julho de 2024 às 15:21

Estado do Goiás recebe primeira etapa do programa O Poder da Rede

Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior
Entrevista 16 de julho de 2024 às 12:32

Brasil quer alcançar US$ 1 trilhão no comércio exterior

Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto
Economia 16 de julho de 2024 às 12:26

Lira anuncia que a regulamentação do segundo projeto da reforma tributária será votada em agosto

Dólar sobe após atentado a Donald Trump Dólar sobe após atentado a Donald Trump
Economia 15 de julho de 2024 às 16:53

Dólar sobe após atentado a Donald Trump

Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou
Política 12 de julho de 2024 às 16:31

Haddad diz que desoneração da folha usada por 10 anos não funcionou

Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária
Economia 12 de julho de 2024 às 14:33

Facisc aciona senadores catarinenses para que empresas não sejam prejudicadas com Reforma Tributária

Serviços

Ver todos

Soluções dedicadas ao empresário brasileiro

Conheça nossos serviços para a sua empresa.

Conhecimento e informação nos conecta

Compartilhamos conteúdo do seu interesse

  •  

Eventos

Ver todos

Agenda dos Eventos Empresarias

Participe dos eventos organizados por entidades que apoiam os empresários do Brasil.

Busca

Fechar

Categorias de Serviços

Fechar

Categorias de Vídeos

Fechar

Entidades

Fechar
Logomarca Hotpixel