Brasil - 15 de December de 2017 - 02:22
Notícias / BENEFÍCIO
05 de dezembro de 2017 - 16:02

Pesquisa ACSP: 70% dos brasileiros usarão segunda parcela do 13º salário para pagar dívidas ou poupar

Para Alencar Burti, presidente da ACSP, o número indica que o brasileiro quer se livrar de vez da dívida, para poder voltar a comprar

Neste fim de ano, cerca de 70% dos brasileiros que recebem 13º salário utilizarão a segunda parcela do benefício para pagar dívidas ou poupar. Já 11,9% comprarão presentes, 7,1% irão viajar com o dinheiro e 14,3% estão indecisos. É o que mostra pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) feita entre os dias 1º e 14 de novembro pelo Instituto Ipsos, em todas as regiões do País.

Os entrevistados que pagarão dívidas somam 42,9%, contra 35,9% no ano passado. “Esse forte aumento da intenção de quitar débitos indica que o consumidor quer resolver de uma vez o problema da dívida para poder voltar a comprar”, avalia Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

Já a parcela de brasileiros que deverá poupar (26,2%) caiu em relação a 2016 (30,8%). “No ano passado, o consumidor estava mais receoso em relação ao futuro, em função da gravidade das crises econômica e política”, explica Burti. “O brasileiro ainda está cauteloso, visto que nosso Índice Nacional de Confiança está estável há três meses, mas a perspectiva é positiva diante da melhora de indicadores econômicos que já conseguimos visualizar”.

O levantamento da ACSP referente ao uso da segunda parcela do 13º salário aponta que, neste ano, aumentou um pouco a intenção de compra de presentes (de 10,3% em 2016 para 11,9% em 2017) e de viajar (de 5,1% para 7,1%).

Chama a atenção o universo de indecisos (14,3%). “É uma parcela expressiva. Por isso, recomendamos que os lojistas invistam em marketing, ofertas e descontos, para atrair e conquistar esses consumidores que ainda não sabem o que farão com o benefício”.

O pagamento do benefício vai injetar cerca de R$ 200 bilhões na economia brasileira, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

Fonte: ACSP

Deixe seu comentário
Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis
Revistas