Brasil - 23 de November de 2017 - 18:34
05 de dezembro de 2016 - 11:30

A energia positiva do empreendedorismo

Ao ler a edição desta semana da Revista Exame CEO, edição 25, me deparo com o assunto preferido da CACB: o empreendedorismo. Aliás, a pauta que dá a capa da revista, é assunto recorrente aqui na Confederação e criamos regras, adotamos práticas e mobilizamos técnicos para levar, aos nossos empreendedores, gestão e sobrevivência para melhorar, na verdade, os indicadores de mortalidade empresarial.

O Brasil é um dos países com maior número de pessoas que tentam montar um negócio por conta própria, O desafio, diz a revista, é transformar este ímpeto empreendedor em empresas que dão certo – e geram mais empregos, inovação e crescimento.

Desafio que a CACB vem, há tempos, adotando junto com nosso parceiro Sebrae e em  sintonia com a tendência de que no Brasil estão os maiores percentuais de pessoas com o sonho de abrir um negócio.

Os dados nos mostram que estamos no caminho certo ao focarmos nossas ações aos empreendedores: a população dos países em desenvolvimento tende a ser mais empreendedora do que a dos países desenvolvidos.

O economista sul-coreanao, Ha-Joon Chang, professor de Cambridge, diz, em seu livro 23 coisas que não nos contaram sobre o capitalismo que dados da OCDE, o clube das nações ricas, mostram que de 30 a 50% da força de trabalho nos países em desenvolvimento são donos do próprio negócio.

E as pessoas são mais empreendedoras em países como o Brasil, por exemplo, porque esses países não estão gerando empregos suficientes e, para muitas pessoas, abrir um negócio é a única saída de sobrevivência. Sendo assim, sabemos também que, segundo o Sebrae, um quarto das empresas fecham antes de completar dois anos. E pelo menos metade morre antes dos quatro anos, segundo o IBGE.

Neste sentido, a CACB se sente fortalecida em se associar a projetos que ajudem na capacitação dos empreendedores. Pensamos, no entanto, que além de estarmos no caminho certo, precisamos também ajudar o Brasil a criar um ambiente mais favorável aos negócios, como lembra uma das matérias da Exame CEO.

Sabemos que empreender gera impacto positivo na economia de uma região ou de um país. Enfim, o empreendedorismo precisa ser visto como uma energia positiva que irriga a economia de um país.

George Pinheiro

Presidente

Deixe seu comentário
Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis
Revistas