Brasil - 22 de setembro de 2017 - 04:53
10 de abril de 2017 - 18:16

Coordenadores de 5 estados defendem os bons resultados do Empreender em Brasília

Encontro ocorreu em Brasília entre os dias 3 e 7 de abril

img_2257

A CACB reuniu, em Brasília, os coordenadores do Programa Empreender de 5 estados: Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco e Rio Grande do Sul. O presidente da CACB, George Pinheiro, o diretor financeiro da CACB e presidente da FACMAT, Jonas Alves de Souza, o coordenador nacional do Empreender, Carlos Rezende, e representantes do SEBRAE  também marcaram presença no evento.

Nos dois primeiros dias de evento (3 e 4/4), foi traçado um panorama da etapa atual do Empreender em cada estado participante. Os coordenadores das 4 Federações (Faceb, Facmat, Federaminas, Facep) e da Microempa (Associação da Empresas de Pequeno Porte do RS) apresentaram resultados locais do Empreender. No terceiro dia (5/4), o consultor Marcus Macedo, do Rio de Janeiro, iniciou o curso multidisciplinar de agente de desenvolvimento local.

img_2299

Empreender nos estados

Os coordenadores das entidades da Bahia, de Minas Gerais, do Mato Grosso, de Pernambuco e do Rio Grande do Sul apresentaram resultados locais do Empreender, com dados como o número de núcleos e de empresas nucleadas, os planos de ação e reuniões dos núcleos, sustentabilidade e manutenção dos projetos. Depois das apresentações, houve um debate com o tema “Empreender nos estados”.

Atualmente, o programa atende 56 Associações Comerciais e Empresariais, beneficiando empresas de 188 núcleos setoriais.

De acordo com Herriette Cedraz, coordenadora do Empreender na Bahia, os resultados do projeto são significativos: “Nós estamos em uma condição privilegiada, pois conseguimos apoio dos técnicos da CACB para esclarecer as dúvidas em tempo hábil, para que, agora, na reta final, nossas ações sejam contempladas dentro do prazo com os recursos aplicados devidamente”.

Alice Macêdo, executiva do Empreender em Pernambuco, citou cases de sucesso em dois municípios do estado, abordando a importância da metodologia do Empreender para os resultados das ações realizadas: “Em Ribeirão, o núcleo de agricultores vai abrir uma fábrica na região, passando a comercializar não só a cana, mas também produtos derivados, como rapadura e mel de engenho. Em Vitória, o núcleo misto Empreende Vitória, que reúne diversos segmentos, fez a primeira rodada de negócios, que está movimentando a economia. Outras duas rodadas já estão previstas para este ano. Existem vários exemplos de como o Empreender está afetando positivamente a região”.

Walmam Bezerra, coordenador do Empreender em PE, completa: “O Empreender muda a vida do empresário, que vê uma oportunidade de discutir seus problemas de forma transparente e encontrar soluções com apoio de seus pares. No fim, cabe ao consultor apoiar essas ideias do próprio empresário”.

Elaine de Paula, executiva de Montenegro/RS, também participou do evento, representando a Federasul, que vai assumir a próxima etapa do Empreender no estado. “Ficamos satisfeitos com a retomada da Federação na competência de conduzir suas filiadas na metodologia do Empreender”, conclui.

 

O papel da CACB

Além dos coordenadores, os especialistas da CACB traçaram um panorama em escala nacional do Empreender.

Carlos Rezende abordou o Prêmio Empreender, que tem como objetivo dar reconhecimento e visibilidade às melhores implementações do Empreender Convencional no Brasil: “Ao identificarmos os núcleos setoriais que se destacam, iremos premiar o consultor desse núcleo, os executivos e o presidente da Associação Comercial, e os empresários vinculados. Os empresários receberão recursos para aplicar em capacitação ou ações que eles julgarem necessárias para o desenvolvimento dos negócios”.

O coordenador anunciou que a cerimônia de entrega do prêmio será no mês de outubro, em Foz do Iguaçu (PR), durante o Encontro do Empreender e o Congresso da CACB. Para saber mais sobre o Prêmio Empreender, clique aqui.

O consultor sênior do Empreender, Renato Rossi, falou sobre a formação de tutores para o curso de Ensino à Distância (EAD), oferecido pela CACB em fevereiro deste ano. Ele destacou a praticidade da iniciativa: “Infelizmente, não podemos oferecer aulas presenciais em todos os lugares e a toda hora, seja por uma questão de orçamento ou geográfica. O curso à distância preenche essa lacuna”.

A equipe de Consultoria de Comunicação, formada por Katiuscia Sotomayor e Joana Albuquerque, fez uma apresentação acerca dos instrumentos para divulgação do Empreender utilizados pela CACB e os resultados obtidos.

Ao final do dia, Carlos Rezende apresentou a quarta edição do Empreender Competitivo, abordando as características gerais, as metas e expectativas da CACB para a nova etapa do projeto.

Ele explica que a iniciativa para participar do Empreender Competitivo deve partir dos empresários do núcleo setorial: “Se o empresário tem um conjunto de ações planejadas e necessita de apoio financeiro para executá-las, deve apresentar sua proposta, por meio da Associação Comercial ou Federação a qual está vinculado. Assim, a proposta será avaliada”.

Segundo Carlos Rezende, o que diferencia esse edital dos anteriores é que agora as Federações poderão apresentar projetos para o desenvolvimento de ações no estado, contemplando mais de um núcleo setorial em diversos municípios.

A analista de projetos de cooperação internacional, Gabriele Oliveira, e a técnica em projetos de cooperação internacional, Orielly Galimberti, fizeram uma apresentação sobre o programa AL-Invest 5.0 (saiba mais: https://goo.gl/t19SWu). As especialistas explicaram como é possível participar dos pacotes de atividades do Programa e receber apoio financeiro para a realização de atividades voltadas ao desenvolvimento das empresas.

Além disso, as especialistas Anelise Rambo e Patrícia Rego fizeram análises das situações técnica e financeira do Programa Empreender.

De acordo com Anelise, analista técnica de projetos, houve um aumento no número de empresas participantes do Empreender e melhoria na qualidade dos relatórios dos consultores: “Ainda precisamos melhorar a questão dos planos de ação dos projetos e observar a importância de alcançar a meta de 5 núcleos setoriais constituídos por ACE até o final do projeto, já que ainda há municípios que não alcançaram o objetivo proposto”.

Segundo Patrícia, analista financeira de projetos do Empreender, o projeto está em uma boa fase: “Registramos maior comprometimento das coordenações para a melhoria do percentual financeiro, o que impactou no aumento das liberações das parcelas. O desafio agora é que todas as ACEs consigam atingir as metas financeiras e possam receber a última contrapartida na íntegra”.

Houve também uma dinâmica em grupo, com a participação de todos os coordenadores presentes, representantes do SEBRAE e da CACB. Na prática, o grupo identificou as Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças (FOFA) das Associações Comerciais parceiras da CACB.

Os participantes montaram em conjunto a matriz FOFA, com objetivo de identificar as Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças das ACEs

Os participantes montaram em conjunto a matriz FOFA, com objetivo de identificar as Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças das ACEs.

O objetivo da análise FOFA, desenvolvida dentro da metodologia METAPLAN, é que o grupo identifique problemas e, a partir deles, encontre soluções. Com isso, espera-se que a eficiência das ACEs aumente, assim como a competitividade em seleções para futuros projetos com a CACB.

O presidente da CACB, George Pinheiro, e o diretor financeiro da CACB e presidente da FACMAT, Jonas Alves de Souza, também compareceram ao evento e discursaram sobre o Programa:

“O Empreender é o programa mais importante da CACB e abrange praticamente todo o país, atingindo diretamente as micro e pequenas empresas, com o objetivo de termos um novo empresário: atuante e inserido no mercado local, nacional e até internacional. Esta semana de treinamento é fundamental para o programa e resultará em um trabalho ainda melhor em todas as frentes”, afirmou o presidente George.

“O Empreender é um programa que encanta. Porque nós temos a capacidade fundamental de formar cooperativas, o que quer dizer justamente trabalhar em conjunto. É essa visão que nos dá a credibilidade para crescermos cada vez mais”, completou o diretor Jonas.

Curso de agente de desenvolvimento local

Na quarta-feira (5/4), o consultor Marcus Macedo (RJ) iniciou o curso de agente de desenvolvimento local, cujo objetivo é capacitar os coordenadores para identificar oportunidades com o desenvolvimento de ações do governo local junto ao Empreender em seus respectivos municípios.

Dessa forma, o curso visa a aumentar o número de agentes engajados em ações públicas locais, promovendo, assim, o desenvolvimento da economia em cada município atendido pelo Empreender.

_dsc0080

O consultor Marcus Macedo ministrou o curso de agente de desenvolvimento local para os coordenadores

A capacitação foi dividida em seis módulos, que foram abordados nos últimos três dias de evento: 1) O agente de desenvolvimento no contexto do desenvolvimento local; 2) A agenda do agente de desenvolvimento nas cidades; 3) Estruturação do plano de atuação do agente de desenvolvimento; 4) Matriz de gestão estratégica do agente de desenvolvimento; 5) Viabilização das estratégias do agente de desenvolvimento; 6) As funções legais do agente de desenvolvimento.

De acordo com Marcus, a formação aborda temas transversais ao programa Empreender, que têm convergência com o que está sendo feito nos estados: “é uma forma de agregar valor ao que está sendo feito. Uma forma de fazer isso é formando grupos de agentes de desenvolvimento e reforçar o papel deles na agenda política de benefício da pequena empresa, articulando políticas públicas para os pequenos negócios e o desenvolvimento local”.

Ao longo do curso, o consultor realizou dinâmicas individuais e em grupo. As dinâmicas incluíram abordar a relação dos agentes de desenvolvimento com as autoridades locais e orientar os alunos na estruturação de uma agenda de desenvolvimento para a cidade, levando em conta os principais atores envolvidos, como por exemplo o governo, as universidades, as empresas, etc.

Clayton Leão dividiu em dois pontos a importância do curso: “É importante em dois aspectos: primeiro, na formação de novos agentes. Segundo, no envolvimento dos agentes que já existem com o objetivo do Empreender, que é fomentar os núcleos de atividades econômicas focadas no município. É o momento ideal para alinhar as políticas públicas com o objetivo dos núcleos.

Liamara reforçou: “Já está dentro de nós, os coordenadores do Empreender, a vontade de melhorar, o desejo de mudança. Em muitos casos, já nos enxergamos como agentes de desenvolvimento, só não sabíamos dessa nomenclatura.

O curso nos ajudará a descobrir com quem devemos tratar dessas questões e quem são os atores envolvidos. Assim, poderemos contribuir de forma organizada, assertiva e coletiva, para que toda a comunidade saia ganhando.”

Participação do SEBRAE

O evento contou com a presença do técnico na Unidade de Atendimento Setorial Comércio e Serviços e gestor do SEBRAE, Alberto Valim, que falou sobre a importância da parceria entre a CACB e o SEBRAE: “É um projeto em que se vê resultados, unindo os pequenos negócios, estando completamente alinhado às nossas estratégias e missão. Neste encontro de coordenadores, já numa fase adiantada de execução, é possível e fundamental compartilhar experiências dos estados, que podem contribuir e melhorar ainda mais a metodologia do Empreender”.

O analista do SEBRAE de Pernambuco, Emílio Honório de Melo, também avaliou a participação no Encontro de Coordenadores: “Muito pertinente para divulgar as ações do projeto e promover o intercâmbio de experiências. Foi muito positiva a oportunidade de representar o SEBRAE do meu estado e poder entender melhor o projeto”.

O gerente de atendimento coletivo, comércio, serviços e artesanato do SEBRAE/MG, Agmar Abdon Campos, reforçou que o Empreender tem a capacidade de organizar os empresários em torno de um objetivo comum: “Ver de perto o que acontece em outros estados foi fundamental para ampliar a visão. O Encontro também ajudou a enxergar oportunidades. Estamos habilitados a participar desse novo edital do Empreender Competitivo, assim como do AL-Invest 5.0”.

Agmar finaliza: “Organizar os empresários é um desafio para todos. O Empreender faz isso de maneira eficaz. Desse modo, quando o SEBRAE começa a atuar, e os empresários já estão organizados, as discussões passam a ser bem mais técnicas e conseguimos avançar muito mais”.

O evento foi encerrado na sexta-feira, dia 7/04.

img_2293

Presidente da CACB, George Pinheiro.

pres-1

À esquerda, o Coordenador Nacional do Empreender e, à direita, o Diretor Financeiro da CACB e presidente da FACMAT, Jonas Alves de Souza.

img_0281

Coordenador Nacional do Empreender, Carlos Rezende, anunciando o Prêmio Empreender 2017.

img_0284

Técnico na Unidade de Atendimento Setorial Comércio e Serviços e gestor do SEBRAE, Alberto Valim, discursando na abertura do evento.

Deixe seu comentário
Imprensa CACB - Jornalistas Responsáveis
Revistas